Tecnologia e Ciência Conselho do Twitter avalia plano para se defender da oferta de compra de Elon Musk

Conselho do Twitter avalia plano para se defender da oferta de compra de Elon Musk

Objetivo é reduzir a probabilidade de alguém obter o controle da empresa por meio da acumulação de títulos de mercado aberto

AFP

Resumindo a Notícia

  • O Twitter planeja se defender da oferta pública de compra hostil de Elon Musk.
  • A empresa anunciou um plano para impedir que o magnata consiga comprar facilmente ações.
  • Musk possui atualmente pouco mais de 9% do capital acionário do Twitter.
  • Se ele comprar mais de 15% dos títulos, os demais papéis serão vendidos com desconto.
Elon Musk possui atualmente pouco mais de 9% do capital acionário do Twitter

Elon Musk possui atualmente pouco mais de 9% do capital acionário do Twitter

Brendan Smialowski/AFP - 11.4.2022

O Twitter começou a se mexer para se defender da oferta pública de compra hostil, por US$ 43 bilhões, de Elon Musk, e anunciou um plano nesta sexta-feira (15) para impedir que o magnata consiga comprar facilmente as suas ações.

O plano "reduzirá a probabilidade de qualquer entidade, pessoa ou grupo obter o controle do Twitter por meio da acumulação [de títulos] do mercado aberto, sem pagar a todos os acionistas um prêmio de controle adequado, ou sem dar ao Conselho de Administração as informações suficientes para a tomada de decisões", assinalou a companhia em comunicado.

Essa cláusula, também conhecida como "pílula de veneno" no jargão do mercado financeiro, seria ativada caso um acionista adquira mais de 15% das ações da empresa sem a autorização do conselho.

Elon Musk, o magnata de origem sul-africana dono das empresas Tesla e SpaceX, possui atualmente pouco mais de 9% do capital acionário do Twitter.

Se Musk comprar títulos suficientes para superar 15%, todos os outros acionistas da plataforma poderão comprar mais papéis com um desconto, o que encareceria bastante o preço para que o empresário possa assumir o controle total da rede social.

Vale o clique: Terra pode ficar 3,2ºC mais quente até final do século, diz agência da ONU

O anúncio do Twitter revela que a plataforma sediada em San Francisco, no oeste dos Estados Unidos, planeja se defender contra a proposta hostil do homem mais rico do mundo de comprá-la e transformá-la em uma empresa de capital fechado.

A proposta de Musk enfrenta questionamentos em várias frentes, incluindo uma possível recusa e o desafio de reunir o dinheiro ofertado pelo magnata para realizar a transação, mas poderá ter amplas repercussões na rede social se for efetivamente consumada.

Ontem, Musk afirmou que tinha "recursos suficientes" para a transação e que contava com um plano B se o Conselho de Administração do Twitter recusasse a oferta. Também ressaltou que não tinha a intenção de "fazer dinheiro" com a aquisição, durante uma entrevista ao vivo no evento Ted2022.

Por falar em redes sociais, recentemente, influenciadoras se despediram dos fãs antes de o Instagram ser bloqueado na Rússia. Confira abaixo!

Últimas