Tecnologia e Ciência Edward Snowden diz que agência de segurança dos EUA poderia ter prevenido ataque hacker

Edward Snowden diz que agência de segurança dos EUA poderia ter prevenido ataque hacker

Malware que se alastrou por quase 100 países pode ter sido roubado da NSA

Edward Snowden diz que agência de segurança dos EUA poderia ter prevenido ataque hacker

Snowden afirmou que o Congresso americano deveria investigar se NSA estava ciente de falha no sistema

Snowden afirmou que o Congresso americano deveria investigar se NSA estava ciente de falha no sistema

The Guardian/AFP

Edward Snowden, ex-prestador de serviços da NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos), culpou a agência americana por não ter prevenido o ciberataque que se alastrou por quase 100 países desde a última sexta-feira (12).

Conforme informou o jornal The New York Times, o mega atentado hacker pode ter sido feito com o uso de um vírus roubado da própria NSA por um grupo autodenominado “Shadow Brokers”. Em post no Twitter, Snowden afirmou que o Congresso americano deveria investigar se a agência estava ciente das vulnerabilidades de seu sistema suscetíveis a explorações de hackers.

— Se a NSA tivesse reportado, em caráter privado, a falha no sistema usada para atacar hospitais no momento em que se soube que ela existia — e não quando o malware já havia se espalhado pelo mundo —, isso [o ciberataque] provavelmente não teria acontecido.

O que se sabe até agora do 'sequestro' de computadores em grandes empresas ao redor do mundo

O ex-prestador de serviços ainda disse que "apesar de todos os avisos, a NSA construiu ferramentas perigosas para ciberataques que poderiam comprometer os softwares de todo o Ocidente. Hoje nós pagamos o preço".

Hospitais ainda sofrem

No Reino Unido, seis instituições públicas de saúde vinculadas ao NHS (National Health System) — rede britânica equivalente ao SUS — ainda estão tentando salvar seus arquivos do ciberataque. A informação é do jornal britânico The Independent.

Desde ontem (12), o atentado hacker forçou hospitais na Inglaterra a cancelarem consultas e adiarem tratamentos por conta do problema. 

O ataque de grandes proporções também atingiu diversas empresas e organizações pelo mundo. A empresa tcheca de antivírus Avast, que figura entre as dez maiores do mundo no ramo, informou hoje (13) que o malware se espalhou por 99 países, incluindo Reino Unido, EUA, China, Rússia, Espanha e Itália.

Europol classifica novo ciberataque como 'sem precedentes'

O que se sabe até agora é que o atentado foi uma campanha de ramsonware — em que computadores são infectados com um vírus que codifica e "sequestra" os arquivos.  Os invasores, então, pedem um "resgate": ameaçam destruir (ou tornar públicos) os materiais roubados caso não recebam dinheiro em troca da devolução.

No Brasil, a reportagem do R7 apurou que foram afetadas a sede brasileira da Telefônica/Vivo, em São Paulo, além do Tribunal de Justiça de São Paulo, o Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo e o Ministério Público do Estado de São Paulo. Ainda não está claro, porém, o alcance dos ataques no País.