Tecnologia e Ciência Moscas carnívoras extintas há quase 200 anos são descobertas por guarda-florestal na França

Moscas carnívoras extintas há quase 200 anos são descobertas por guarda-florestal na França

Homem encontrou diversos insetos rondando o corpo de um javali; espécie perdida costuma se alimentar de restos de animais

Resumindo a Notícia

  • Moscas são conhecidas popularmente como águias-pescadoras
  • A descoberta foi feita durante expediente de um guarda-florestal
  • Espécie era dada como extinta desde 1836
  • Especialistas dizem que hábitos da mosca explicam 'desaparecimento'
Exemplar de um macho da espécie 'Thyreophora cynophila'

Exemplar de um macho da espécie 'Thyreophora cynophila'

Divulgação Sociedad Entomológica Aragonesa

Moscas carnívoras conhecidas como águias-pescadoras, da espécie Thyreophora cynophila que eram dadas como extintas desde 1836 foram encontradas em um parque nacional no sul da França.

A descoberta foi feita por um guarda-florestal, que durante o expediente no Vale do Ossau, região montanhosa onde fica o parque, encontrou um amontoado de moscas rondando os restos mortais de um javali.

O homem ficou surpreso ao reparar que não eram moscas comuns, já que essa espécie se diferencia por ter a cabeça laranja, corpo de coloração azul metálica e as asas com um par de manchas pretas.

A mosca foi documentada pela primeira vez no século 18 por um botânico alemão, e se caracteriza por ser mais ativa no inverno. Com exceção desse registro, não era encontrada havia mais de 200 anos.

Esse registro atual se soma a um caso de 2009, em que um fotógrafo também conseguiu capturar a imagem da mosca.

Especialistas em insetos acreditam que a espécie permaneceu sem ser vista por tanto tempo devido à sua maneira de buscar alimentos, que normalmente ocorre à noite, no inverno e em regiões de difícil acesso, o que torna difícil que profissionais especializados consigam observá-los.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas