Tecnologia e Ciência Peru, Colômbia, Equador e Bolívia criticam decisão favorável à Amazon

Peru, Colômbia, Equador e Bolívia criticam decisão favorável à Amazon

Países da bacia amazônica lamentam após perderem o nome do domínio para empresa varejista, e argumentam que o termo se refere à região geográfica

Amazon é criticada sobre domínio de internet

Peru, Colômbia, Equador e Bolívia criticam decisão favorável à Amazon

Peru, Colômbia, Equador e Bolívia criticam decisão favorável à Amazon

REUTERS/Mike Segar

 Os presidentes do Peru, Colômbia, Equador e Bolívia criticaram uma recente decisão da organização que administra o protocolo da internet de conceder à varejista global Amazon os direitos sobre o domínio de internet .amazon.

Leia também: Conteúdo violento no Facebook aumenta quase 10 vezes em um ano

A Amazon busca os direitos exclusivos do nome de domínio .amazon desde 2012. Os países da bacia amazônica, no entanto, argumentam que o termo se refere à região geográfica e não deve ser o monopólio de uma empresa.

Os quatro líderes --o peruano Martín Vizcarra, o colombiano Iván Duque, o equatoriano Lenin Moreno e o boliviano Evo Morales-- prometeram unir forças para proteger seus países do que descreveram como governança inadequada da internet.

A decisão estabelece "um grave precedente ao priorizar os interesses comerciais privados acima das considerações das políticas públicas estatais, os direitos dos povos indígenas e a preservação da Amazônia", disseram Vizcarra, Duque, Moreno e Morales em comunicado conjunto no domingo (26), após se reunirem em Lima no bloco regional da Comunidade Andina.

O Brasil, que possui a maior faixa da floresta amazônica, também lamentou a decisão.

A Amazon.com não respondeu a solicitações de comentários fora de horário comercial.

Robô ajudará nas entregas de encomendas pesadas em 2021