Tecnologia e Ciência Telescópio Hubble quebra recorde e detecta a estrela individual mais distante já vista

Telescópio Hubble quebra recorde e detecta a estrela individual mais distante já vista

A luz de Earendel demorou 12,9 bilhões de anos para chegar à Terra e só foi localizada por se alinhar com um aglomerado de galáxias

Telescópio Hubble avistou objeto espacial mais longínquo

Telescópio Hubble avistou objeto espacial mais longínquo

Reprodução/European Space Agency

O telescópio espacial Hubble detectou a luz da estrela individual mais distante já vista até hoje pela humanidade. O feito recordista foi anunciado pela Nasa nesta quarta-feira (30).

Para se ter uma ideia, a luz da estrela Earendel (que significa "estrela da manhã", em inglês antigo), como foi chamada pela agência espacial dos Estados Unidos, levou 12,9 bilhões de anos para chegar à Terra.

Earendel existiu no primeiro bilhão de anos do Universo, o que a torna três bilhões de anos mais antiga que a estrela individual mais velha vista anteriormente pelo telescópio, apelidada de Icarus.

A Nasa ressalta que o Hubble já havia detectado objetos espaciais tão antigos, mas eram aglomerados de estrelas, dentro de galáxias que surgiram nos primeiros anos do Universo.

"Quase não acreditamos no começo, era muito mais longe do que a estrela anterior mais distante e com maior desvio para o vermelho", disse o astrônomo Brian Welch, da Universidade Johns Hopkins, principal autor do estudo sobre a descoberta.

"Normalmente a essas distâncias, galáxias inteiras parecem pequenas manchas, com a luz de milhões de estrelas se misturando", acrescentou o cientista.

O vídeo abaixo mostra detalhes visuais da nova descoberta. Para nós, a antiga Earendel parece uma pequena mancha.

O astrônomo especula ainda que Earendel é uma estrela tão antiga que pode não ser formada pelos mesmos elementos das estrelas mais comuns atuais.

Detectar a luz dela só foi possível porque ela se alinhou com o aglomerado de galáxias WHL0137-08, que serviu como uma espécie de "lupa natural", ao distorcer o tecido espacial ao redor e amplificar a luz de estrelas mais distantes dela.

Um alinhamento do tipo é considerado "muito raro" e permitiu que Earendel exibisse o brilho máximo.

A estimativa dos pesquisadores é que Ícaro tenha 50 vezes a massa do nosso Sol e seja "milhões de vezes mais brilhante".

LEIA ABAIXO: A Nasa tem uma foto para o dia em que você nasceu. Saiba como ver

Últimas