Tecnologia e Ciência Xiaomi entra no setor de fabricação de veículos elétricos

Xiaomi entra no setor de fabricação de veículos elétricos

Empresa chinesa conhecida pela venda de eletrônicos contratou 500 engenheiros no país para trabalhar na nova empreitada

AFP
Até o momento, não foram divulgadas datas para a comercialização dos carros

Até o momento, não foram divulgadas datas para a comercialização dos carros

GREG BAKER / AFP

A fabricante de smartphones e produtos eletrônicos Xiaomi é mais uma empresa chinesa a entrar no ramo de produção de veículos elétricos.

Leia também: Loja autorizada Xiaomi amplia atendimento em Campo Grande

"A empresa Xiaomi Auto foi registrada oficialmente em 1º de setembro", anunciou o diretor executivo do grupo, Lei Jun.

A empresa terá um capital de US$ 10 bilhões (R$ 51,4 bilhões), informou.

Como demonstração da importância que o grupo dará a esta nova atividade, Lei Jun contratou em julho 500 engenheiros no país.

Até o momento, não foram divulgadas datas para a comercialização dos carros.

Leia também: Xiaomi supera Apple em venda de celulares no mundo

Os veículos de nova energia (híbridos, elétricos, com bateria de combustível e célula de combustível) estão no auge na China, um país na vanguarda neste campo graças, sobretudo, a uma população ultraconectada e a uma política de incentivos por parte das autoridades. As montadoras nacionais e estrangeiras competem para capitar uma parte deste mercado.

A Xiaomi não é a primeira empresa chinesa a entrar no setor. Vários grupos, como XPeng e Li Auto, que entrou na Bolsa no ano passado nos Estados Unidos, também anunciaram projetos no setor.

A Xiaomi, segunda maior produtora mundial de smartphones, também produz tablets, smartwatches, fones de ouvido, patinetes, entre outros.

Últimas