Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

4/4/2014 às 13h23 (Atualizado em 4/4/2014 às 15h26)

Pezão toma posse como governador do Rio de Janeiro: "missão árdua"

Sérgio Cabral se afastou do cargo para se candidatar ao Senado

Do R7

Sérgio Cabral fez um discurso de despedida do cargo de governador, antes de passar bastão para Pezão Ag. O Dia

Luiz Fernando Pezão (PMDB), de 59 anos, tomou posse, na manhã desta sexta-feira (4), como governador do Rio de Janeiro. A cerimônia foi realizada no plenário Barbosa Lima Sobrinho da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). Ele atuava como vice-governador do Estado desde 2007 e, agora, assume o lugar de Sérgio Cabral, que renunciou ao cargo na quinta-feira (3) para concorrer ao Senado.

Ao sair da Alerj, já governador, Pezão disse que o primeiro passo será tentar reabrir a Santa Casa da Misericórdia, que foi interditada no ano passado pela Anvisa. Ele deve se reunir com o prefeito Eduardo Paes para tratar do assunto.

Pelo Twitter, Pezão previu dias de muito trabalho: "Sei que a missão vai ser árdua e difícil, mas vou continuar trabalhando muito para melhorar a vida da população. Podem sempre contar comigo".

Durante a Era Cabral, Pezão atuou também como secretário de Obras, entre janeiro de 2007 a março de 2010. Entre 1997 e 2004, ele foi prefeito da cidade de Piraí, no centro-sul fluminense. Pezão será o candidato da situação para o governo do Estado nas eleições de 2014. Pela linha sucessória, o presidente da Alerj, Paulo Melo (PMDB), será o vice-governador do Rio até o fim do ano.

Pesquisa Ibope

Marcelo Crivella (PRB) venceria a eleição para governador do Rio de Janeiro no segundo turno nos principais cenários simulados por uma pesquisa do Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), realizada com 1.008 eleitores entre 7 e 10 de março. Na simulação do primeiro turno, Crivella e Anthony Garotinho (PR) lideram com empate técnico, com vantagem para Garotinho, 19 % a 18%. Em seguida aparecem Lindberg Farias (PT), com 13%, Luiz Fernando Pezão (PMDB), 6%, e Alfredo Sirkis (PSB), com 2%. Votos brancos e nulos somam 35% e indecisos, 8%.

Nos cenários de segundo turno analisados, Crivella estaria à frente de Garotinho com 28% a 24% das intenções de voto. Contra Lindberg, Crivella venceria por 31% a 20%. Contra Pezão, Crivella teria vantagem de 36% a 13%. Rejeição O Ibope também perguntou em quem os eleitores não votariam de jeito nenhum.

Os três mais rejeitados foram César Maia (DEM), com 69%, Garotinho, com 60%, e Pezão, com 59%. O levantamento foi encomendado pelo Sindicato Nacional dos Condutores da Marinha Mercante e Afins e foi registrado no TRE-RJ sob o número 00002/2014.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!