São Paulo

18/6/2013 às 02h51 (Atualizado em 18/6/2013 às 11h05)

Novo protesto nesta terça, agora na praça da Sé, já tem quase 100 mil confirmados em São Paulo

Página do movimento no Facebook define novo local para a sexta manifestação contra a tarifa

Do R7

Último protesto foi marcado pela diversidade dos manifestantes Eduardo Enomoto/R7

O MPL (Movimento Passe Livre), que está organizando as manifestações contra o aumento da passagem em São Paulo, divulgou que haverá um novo protesto nesta terça-feira (18). O sexto protesto está marcado para as 17h, na praça da Sé, região central de São Paulo, e quase 100 mil pessoas já confirmaram presença no novo ato.

Na noite desta segunda-feira (17), mais de 100 mil pessoas participavam da manifestação na capital paulista. Elas ocupavam vias importantes da cidade como avenida Faria Lima, Rebouças e marginal Pinheiros, na zona oeste. Neste novo protesto que vai se realizar hoje na praça da Sé, até as 2h40 da manhã desta terça, 98 mil pessoas já tinham confirmado presença.

Na quinta manifestação realizada na cidade em razão do último aumento da passagem não foram registrados confrontos durante a passeata, diferente da manifestação realizada na última quinta-feira (13) que foi marcada por atos de violência e repressão policial. Durante os protestos, muitas pessoas carregavam faixas brancas e havia manifestantes com o corpo enrolado na bandeira do Brasil.

Universitários preparam faixas e cartazes

"Ninguém será detido por levar vinagre", garante secretário de Segurança de São Paulo

Sindicato recomenda que lojas fechem as portas

Movimento Passe Livre

Os cinco protestos que pararam São Paulo, nos últimos dias, são organizados pelo Movimento Passe Livre. O MPL tem como principal bandeira a mudança do sistema de transporte das cidades da iniciativa privada para um modelo público, "garantindo o acesso universal através do passe livre para todas as camadas da população". O movimento calcula que 37 milhões de brasileiros deixam de utilizar o transporte público por não poder arcar com o custo das passagens.

Na prática, o MPL quer que o transporte público seja gratuito. Portanto, a briga não é somente contra o aumento de R$ 0,20 na tarifa do transporte coletivo em São Paulo — de R$ 3,00 para R$ 3,20. Sua carta de princípios diz que "o MPL deve ter como perspectiva a mobilização dos jovens e trabalhadores pela expropriação do transporte coletivo, retirando-o da iniciativa privada, sem indenização, colocando-o sob o controle dos trabalhadores e da população".

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade

Vitrine de ofertas

Compartilhe
Compartilhe
Assalto na Dutra

Empresário morto ao saltar de carro em movimento era fã de armas e velocidade

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Crise no abastecimento

Moradores de Itu são obrigados a improvisar para conseguir água

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
17 anos

Sessão de tortura de garota queimada com cigarro durou quatro horas

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Você moraria nestes lugares?

Veja como estão imóveis que foram cenários de tragédias em São Paulo

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de São Paulo

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!