Polícia do Guarujá (SP) encerra caso de turista morto em restaurante

Proprietário do estabelecimento e seu filho foram indiciados por homicídio qualificado

A polícia encerrou nesta sexta-feira (1°) o caso do turista que foi morto a facadas em um restaurante no Guarujá, litoral de São Paulo, por causa de uma dívida de R$ 7.

O proprietário do restaurante, José Adão Pereira dos Passos, de 55 anos, e seu filho, que também era gerente do local, Diego Souza Passos, de 22, além de um garçom, foram indiciados por homicídio qualificado.

No inquérito consta que o dono do estabelecimento matou o universitário Mário dos Santos Sampaio, de 22 anos. Já o filho e o funcionário são acusados de segurar e agredir a vítima. Pai e filho estão presos. O funcionário está em liberdade.

Crime no Guarujá: “Não acredito em legítima defesa, foi assassinato mesmo”, diz testemunha

Pai e filho suspeitos de matar cliente por R$ 7 se entregam

Corpo de jovem morto em restaurante é enterrado em Campinas

O crime

O estudante, de 22 anos, morador de Campinas, foi morto com três facadas pelo dono do estabelecimento depois de uma discussão com o gerente sobre o valor da conta cobrada pela refeição.

O crime foi na noite de 31 de dezembro de 2012, poucas horas antes da virada do ano. Sampaio, que estava com a namorada e dois amigos no Restaurante Casa Grande, não concordou em pagar R$ 19,99 pela refeição, já que o anúncio informava o preço de R$ 12,99.

Assista ao vídeo: