Brasil Capitais do Sudeste têm 660 multas de excesso de velocidade por hora

Capitais do Sudeste têm 660 multas de excesso de velocidade por hora

Motoristas da região foram autuados 1,4 milhão de vezes por transitar em velocidade superior à máxima permitida nas cidades no 1º trimestre de 2019

excesso de velocidade

Dirigir até 20% acima do limite é infração mais cometida

Dirigir até 20% acima do limite é infração mais cometida

Pexels

Os motoristas que transitaram pelas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e Vitória (ES) receberam 1.411.296 de multas por dirigirem acima da velocidade permitida nos primeiros três meses deste ano.

Com as informações do Ministério da Infraestrutura, é possível calcular que o número de autuações no período corresponde a 11 infrações por minuto, 660 por hora e 15.857 por dia nas quatro capitais. O resultado é 4,9% inferior ao registrado no primeiro trimestre´de 2018.

A autuação mais comum em todas as quatro capitais foi efetuada por transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20%, aplicada 1.269.911 de vezes. A ocorrência corresponde a uma infração média e resulta em penalidade no valor de R$ 130,16 ao condutor.

Leia mais: parcelamento de multa de trânsito poderá ser feito pela web

O ato de dirigir em velocidade superior à máxima permitida entre 20% e 50% originou 141.385 ocorrências entre janeiro e março e figura entre as 10 mais cometidas em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. A infração é considerada grave e custa R$ 195,23 aos bolsos do motorista infrator.

Os números permitem analisar que somente as duas infrações por excesso de velocidade resultaram em um ganho adicional superior a R$ 192 milhões aos cofres públicos das localidades no primeiro trimestre.

Governo vai instalar 1.000 novos radares pelo país

Governo vai instalar 1.000 novos radares pelo país

Marcelo D. Sants/FramePhoto/Folhapress - 16.6.2019

Novos radares

Nesta segunda-feira (15), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou um acordo com a Justiça para instalação de 1.000 radares em 2.200 trechos monitorados. O ministro afirma que os radares que serão instalados são o "mínimo necessário" para manter a segurança nas rodovias e garante que eles "não ficariam escondidos".

A fala de Freitas surge após o presidente Jair Bolsonaro dizer que havia mandado cancelar a instalação de 8.000 radares no Brasil. "É quase impossível viajar sem receber uma multa", criticou o presidente em uma transmissão via rede social.

Leia mais: Bolsonaro defende o fim das lombadas eletrônicas

Segundo o ministro, os novos instrumentos de fiscalização não passam por cima da palavra de Bolsonaro. "Isso foi acordado, então estamos cumprindo a determinação do presidente e trazendo tecnicidade para colocação de equipamentos", disse ele, que completou: "Não tem polêmica nenhuma. O presidente quer facilitar vida do cidadão e está muito preocupado com a redução de custo."

Os novos radares criticados por Bolsonaro foram licitados em 2016 e previam a instalação de radares de velocidade em 4.204 pontos de estradas, ao custo de R$ 1 bilhão. Na avaliação de Tarcísio, os valores não eram "razoáveis". "Não é só radar que salva vidas, mas manutenção rodoviária, correção geométrica e sinalização", analisou.