Brasil Em áudio, Joice Hasselmann orienta produção de vídeo contra Zambelli

Em áudio, Joice Hasselmann orienta produção de vídeo contra Zambelli

Deputada teria organizado 'gabinete do ódio' próprio para atacar adversários políticos após romper com o governo Bolsonaro

  • Brasil | Thiago Nolasco, da Record TV

Joice orientou assessores sobre como queria vídeo para atacar adversária

Joice orientou assessores sobre como queria vídeo para atacar adversária

Câmara dos Deputados

Uma mensagem de voz da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), enviada durante a tramitação de um projeto na Câmara, foi usada fora de contexto pela ex-aliada dela Joice Hasselmann (PSL-SP) para a produção de um vídeo em tom de deboche.

As orientações de como produzir a peça, posteriormente divulgada nas redes sociais, foram dadas por Joice Hasselmann a integrantes do gabinete dela por meio de mensagens de áudio a que a Record TV teve acesso. Ontem, o Jornal da Record já havia mostrado como funciona o 'gabinete do ódio' da deputada.

Leia também: Joice Hasselmann comanda gabinete do ódio para disseminar fake news

O áudio de Carla Zambelli encaminhado por Joice aos assessores foi o seguinte: "Ele me falou que se precisar de alguma coisa, ele vai me acionar. Mas que, por enquanto, está sob controle, que até o PT está querendo ajudar e está tudo bem."

A mensagem tinha sido enviada por Carla Zambelli a um interlocutor no dia 2 de maio, durante a votação do Plano Mansuetto, para equilíbrio fiscal de estados e municípios. 

Joice orienta sobre como deveria ser produzido um vídeo contra a deputada bolsonarista.

"Faz um videozinho bem curtinho aí, bota a cara da Carla com o áudio e faz um sarcasmo: 'viu? Todo mundo sacou que Lula e Bolsonaro são a mesma coisa. Até o PT ajudando contra Moro'. Vai nessa linha, 'Carla Zambelli confirma'.", disse a ex-líder do governo aos assessores dela.

Leia também: Carla Zambelli e Bia Kicis  querem representação contra Hasselmann

Em outro momento, Joice Hasselmann envia uma nova mensagem de voz em que descreve uma espécie de roteiro de como gostaria que o vídeo fosse feito.

"Pode fazer até num tom — estou te mandando um aí que o pessoal da agência fez — pode ser num tom de deboche, sabe? Tipo naqueles que diz assim... bota a imagem dela, aí, 'ele diz que está tudo bem', e aparece a cara do Bolsonaro. 'Que se precisar, me aciona', aí bota ela [Carla] com uma cara de retardada, que é o que ela tem. 'Até o PT tá a favor', aí bota o Lula e a Dilma dando risada, alguma coisa assim. E aí dá uma zoadinha no final."

Em vídeo enviado ao Jornal da Record, Joice se defendeu das acusações e disse que entrará com uma ação para que haja uma investigação na Polícia Federal sobre o que chamou de tentativa de 'descredibilizar' seu depoimento.

“Eu mesma vou levar meu celular por que quero que haja uma perícia. A tentativa de descredibilizar um depoimento meu, que eu apresentei provas, é uma tentativa desesperada de tentar anular tanto as investigações da CPI quanto as investigações do STF e isso não vai acontecer”. disse.

O resultado foi este vídeo: 

'Arruma esse meme aí para mim'

Em outra série de áudios, a deputada Joice Hasselmann cobra de um auxiliar dela a alteração de um 'meme', segundo ela, que estava sendo produzido no gabinete após a deflagração da operação da Polícia Federal, por autorização do Supremo Tribunal Federal, contra pessoas acusadas de produzir e financiar fake news.

"Jean, arruma esse meme aí para mim. Eu só quero que você tire dele o menino, o Fakhoury, que é o último ali embaixo, que está com oclinhios (sic), é o último do lado direito. Acho que ele não foi pego, não tem nada a ver com isso. E o Luciano Hang, porque, p*, não quero bater no Luciano. O resto você pode deixar tudo. Então, você pode aumentar a foto ali do Carlos, do Jefferson, do Allan. [...] Também acho que você poderia tirar a foto do príncipe. Por mais que ele tenha sido pego, eu acho que ele não tem grande coisa a ver com isso, não. Acho, não tenho certeza. O resto, toca o pau."

Ela volta a cobrar do homem, chamado Jean, as alterações que havia determinado.

"Cadê os que eu mandei você tirar? Ô Jean, mandei você tirar o Luciano Hang, o Luciano tá aí, mandei tirar o Otavio Fakhoury, que é o último lá do cantinho com óculos, ele tá aí."

Pelos dados da Câmara, o único funcionário com nome Jean lotado no gabinete da deputada é o secretário parlamentar Jean Raphael Tadeu Mendes da Silva, admitido no dia em que foi deflagrada a operação.

Montagem foi publicada por Joice em seu Twitter após as alterações solicitadas

Montagem foi publicada por Joice em seu Twitter após as alterações solicitadas

Reprodução/Twitter

Pedido de cassação

Os deputados Carlos Jordy, Carla Zambelli e Bia Kicis entrarão com um pedido à Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara para cassar o mandato de Joice Hasselmann com base em um juramento que ela fez quando foi depor na CPMI das Fake News.

"Juro falar a verdade, somente a verdade e nada mais que a verdade", disse a deputada, em 4 de dezembro do ano passado, ainda que não fosse obrigada.

A descoberta de uma estrutura montada no gabinete da parlamentar e paga com dinheiro público para disseminar informações falsas e ataques a adversários seria, então, o motivo de dizer que Joice mentiu aos seus pares em seu depoimento. 

Carla Zambelli e Bia Kicis também pretendem representar contra a deputada na PGR (Procuradoria-Geral da República), já que há indícios do uso de CPFs falsos na habilitação de números de telefone que seriam usados para abrir contas falsas em redes sociais.

Últimas