Brasil General assume Exército, e Braga Netto fala em missão constitucional

General assume Exército, e Braga Netto fala em missão constitucional

General Paulo Sérgio tomou posse em substituição a Edson Pujol em cerimônia com a presença do presidente Jair Bolsonaro

  • Brasil | Do R7

O ministro da Defesa, general Braga Netto

O ministro da Defesa, general Braga Netto

Youtube/Reprodução 20.04.2021

O novo comandante do Exército Brasileiro, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, tomou posse nesta terça-feira (20) em substituição ao general Edson Leal Pujol, que ocupou o cargo de janeiro de 2019 até 30 de março de 2021. A troca de comando foi realizada em solenidade em Brasília.

Nem o novo comandante e nem o presidente Jair Bolsonaro, que participou do evento, discursaram. O ministro da Defesa, o general Braga Netto, citou feitos do ex-comandante e foi além, analisando o papel das Forças Armandas no atual contexto.

Ele disse que é preciso respeitar o "rito democrático" e o "projeto escolhido pela maioria dos brasileiros para conduzir os destinos do país". E defendeu União contra "iniciativas de desestabilização que alterem o equilíbrio entre os poderes". "O Exército, a Marinha e sua Força Aérea mantêm o foco em suas missões contitucionais", afirmou.

Segundo Braga Netto, "enganam-se aqueles que acreditam estarmos sobre um terreno fértil para iniciativas que possam colocar em risco a liberdade conquistadas por nossa nação". "A sociedade, atenta a essas ações, tem a certeza de que suas Forças Armadas estão preparadas e prontas a servir aos interesses nacionais", disse. 

Troca de comando

Pujol saiu junto com os comandantes da Marinha e da Aeronáutica no final de março, depois de mudança repentina causada por atritos entre Bolsonaro e ex-ministro da Defesa, Fernando Azevedo.

O novo comandante, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, é natural de Iguatu (CE), tem 59 anos e chefiava o Departamento-Geral de Pessoal do Exército desde abril de 2018. O general foi comandante militar do Norte, em Belém (PA), posto que abrange os estados do Amapá, Pará, Maranhão e parte do território do Tocantins.

Últimas