Brasil General da reserva será novo diretor de Logística da Saúde

General da reserva será novo diretor de Logística da Saúde

Ridauto Lúcio Fernandes vai substituir Roberto Dias, exonerado após ter seu nome envolvido numa denúncia de pedido de propina

  • Brasil | Do R7

O general Ridauto Lúcio Fernandes (à esq.) está no ministério desde janeiro

O general Ridauto Lúcio Fernandes (à esq.) está no ministério desde janeiro

Exército Brasileiro

O general da reserva Ridauto Lúcio Fernandes será o substituto de Roberto Dias na Diretoria de Logística do Ministério da Saúde. A designação foi publicada portaria 272 do Diário Oficial da União desta quarta-feira (30). Roberto Dias foi exonerado na noite de terça-feira (29), após ter sido denunciado pelo representante de uma empresa que relatou ter sido pressionado por ele para pagar propina na compra da vacina Astrazeneca/Oxford.

Ridauto Lúcio Fernandes atuava como assessor da Diretoria de Logística desde janeiro, quando foi nomeado pelo então ministro Eduardo Pazuello. O militar entrou no Exército em 1981, concluiu o Curso de Infantaria da Academia Militar das Agulhas Negras e tornou-se bacharel em Ciências Militares em 1987.

A denúncia contra Dias

De acordo com a denúncia, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, representante da empresa Davati Medical Supply, afirmou ter recebido a proposta de propina em encontro informal com Roberto Dias, para tratar de compra de 400 milhões de doses da vacina Astrazeneca/Oxford. Segundo Pereira, o diretor teria afirmado que a empresa precisava aumentar os valores das doses, pedindo propina de US$ 1 por dose comprada.

A Record TV procurou o Palácio do Planalto e o Ministério da Saúde, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Em nota enviada ao R7, a AstraZeneca Brasil informou: "Nos úlltimos meses, trabalhamos para cumprir nosso compromisso de acesso amplo e equitativo e fornecer a vacina para o maior número possível de países ao redor do mundo. Neste momento, todas as doses da vacina estão disponíveis sob acordos assinados com governos e organizações multilaterais em todo o mundo, incluindo a Covax Facility. Atualmente a AstraZeneca não disponibiliza a vacina por meio do mercado privado ou trabalha com qualquer intermediário no Brasil. Todos os convênios são realizados diretamente via Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e Governo Federal".

Últimas