Brasil Michel Temer decide extraditar o ex-ativista Cesare Battisti

Michel Temer decide extraditar o ex-ativista Cesare Battisti

Condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos nos anos de 1970, o italiano teve a prisão decretada na noite desta quinta-feira (13)

Temer

Cesare Battisti está foragido no Brasil

Cesare Battisti está foragido no Brasil

Alex Silva/Estadão Conteúdo - 12.03.2015

O presidente Michel Temer assinou nesta sexta-feira (14) a extradição do ex-ativista italiano Cesare Battisti, que é condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos nos anos de 1970.

A decisão de Temer surge um dia após o ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinar a prisão de Battisti. Ele está foragido, segundo a Polícia Federal.

Pela manhã, o advogado Igor Tamasauskas, que defende o italiano, disse não saber do paradeiro do seu cliente. "A ordem não foi executada. Não consegui falar com ele. Não tenho informação (de onde ele está)", afirmou.

Temer já sinalizava pela extradição desde outubro do ano passado, quando aguardava um parecer jurídico do Planalto para decidir a respeito do tema. Na ocasião, Battisti havia sido preso no Mato Grosso do Sul enquanto tentava deixar o país rumo à Bolívia.

Battisti foi condenado na Itália por crimes cometidos quando integrava o grupo Proletariados Armados pelo Comunismo. Em 2004, ele desembarcou no Brasil e acabou preso três anos depois.

No ano de 2009, a Suprema Corte julgou procedente o pedido de extradição feito pela Itália, mas atribuiu a decisão final à Presidência. Na época, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou, no último dia de mandato, a entrega do ex-ativista ao país europeu.

Tamasauskas, responsável pela defesa de Battisti, afirmou ao R7 que "trabalhará para reverter a decisão". Mais cedo, a defesa do ex-ativista apresentou um pedido ao STF para anular a ordem de prisão emitida por Fux.