Brasília Após rachadura, Defesa Civil manda construtora reforçar estrutura de edifício no DF

Após rachadura, Defesa Civil manda construtora reforçar estrutura de edifício no DF

Prédio em Águas Claras foi esvaziado na noite de quarta-feira (25) após a identificação de trincas em pilares de sustentação

  • Brasília | Jéssica Moura e Kelly Almeida, do R7, em Brasília

Imóvel abriga lojas comerciais nos andares inferiores

Imóvel abriga lojas comerciais nos andares inferiores

Divulgação/CBMDF

Após a identificação de rachaduras em pilares do DF Plaza, em Águas Claras, no Distrito Federal, nessa quarta-feira (25), a Defesa Civil notificou a construtora responsável pelo empreendimento para que faça reparos na estrutura do prédio. O imóvel, além de residencial, abriga lojas comerciais nos andares inferiores.

Apesar de ter afastado o risco de desabamento do prédio, o laudo do órgão aponta que há trincas em pilastras de dois pavimentos de garagem. "Foi constatado acabamento nos pilares pela construtora, verificou-se escoramento precário", detalha o documento.

Na notificação ao DF Plaza, a Defesa Civil determinou que a construtora Erbe Incorporadora apresente projeto de escoramento, mediante Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) no prazo de dois dias. Além disso, também exigiu que seja feito o monitoramento tecnológico contínuo para identificar possíveis movimentações ou alterações na estrutura da edificação.

Defesa Civil ainda ordenou ainda que a construtora avalie se há necessidade de evacuação em outras duas torres e que elabore uma lista com os nomes dos moradores que tiveram de sair de casa, além e apontar como essas famílias serão assistidas.

Entre outras providências elencadas pela Defesa Civil, estão a elaboração de um laudo técnico com as causas dos problemas constatados e a solução a ser adotada para a segurança e estabilidade estrutural. Em seguida, a empresa terá de apresentar o cronograma dos reparos à Defesa Civil.

Na noite dessa quarta-feira (25), depois que a administradora do condomínio identificou as rachaduras, os moradores da Torre D tiveram de sair dos apartamentos. No comunicado, a Erbe Incorporadora pediu que os moradores saíssem do edifício "levando consigo roupas, documentos, objetos de uso pessoal e automóvel, trancando a unidade e deixando na mesma móveis e equipamentos".

O R7 aguarda um posicionamento da construtora com relação às imposições determinadas pela Defesa Civil. A Erbe Incorporadora informou que alugou quartos em 5 hoteis da cidade para acomodar os moradores evacuados. Além disso, também ofereceu a opção para que sejam ressarcidos se preferirem ir para imóveis alugados ou casa de parentes. 

Últimas