Brasília Bento Albuquerque pede 'esforço inadiável' de redução de consumo

Bento Albuquerque pede 'esforço inadiável' de redução de consumo

Ministro das Minas e Energia promete que pessoas, empresas e entidades públicas que reduzirem consumo serão recompensados

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, Do R7, em Brasília

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque

Reprodução/TV Brasil

Em um pronunciamento em rede nacional feito na noite desta terça-feira (30/08) o ministro das Minas e Energia Bento Albuquerque, disse que a crise energética exige um esforço inadiável na redução do consumo de energia no país. O ministro pediu a cidadãos, empresas e órgãos da administração pública das três esferas que economizem energia. 

Bento Albuquerque lembrou que em junho passado, foram compartilhadas informações importantes sobre a seca que o País tem enfrentado, que ele classificou como a pior da história do Brasil, e sobre a escassez de água que atinge as hidrelétricas. 

"Hoje, eu me dirijo novamente a todos para informar que a nossa condição hidroenergética se agravou. O período de chuvas na região Sul foi pior que o esperado. Como consequência, os níveis dos reservatórios de nossas usinas hidrelétricas das Regiões Sudeste e Centro Oeste sofreram redução maior do que a prevista", afirmou.

Medidas extraordinárias

O ministro disse que tal perda de geração hidrelétrica equivale a todo o consumo de energia de uma grande cidade como, por exemplo, o Rio de Janeiro, por cerca de 5 meses. "Para enfrentarmos essa situação excepcional e garantir o fornecimento de energia, estamos utilizando todos os recursos disponíveis e tomando medidas extraordinárias", disse.

Segundo o ministro, "com pouca água nos reservatórios das hidrelétricas, foi preciso aumentar a geração de energia nas termelétricas e importar energia de países vizinhos. Ele alertou que "esta eletricidade adicional proveniente de geração termelétrica e de importação de energia custará mais caro."

Horário de pico

Bento Albuquerque disse ainda que "para afastar o risco de falta de energia no horário de maior consumo, é fundamental que a Administração Pública, em todas as suas esferas, e cada cidadão-consumidor, nas residências e nos setores do comércio, de serviços e da indústria, participem de um esforço inadiável de redução do consumo."

O ministro anunciou medidas de incentivo à participação da sociedade e orientou a redução do consumo dos Órgãos Federais em 20%. Ele pediu aos grandes consumidores a contribuir com a redução voluntária do consumo nas horas de ponta do sistema, reduzindo a necessidade de uso de recursos mais caros. O mesmo foi pedido aos consumidores residenciais, comerciais e de serviços. Bento Albuquerque prometeu aos consumidores que aderirem a este chamado e economizarem energia, que serão recompensados e poderão ter redução na conta de luz. 

O ministro concluiu o pronunciamento afirmando que a recuperação dos reservatórios vai levar tempo, pois depende também, das chuvas.

Últimas