Brasília BMW blindada e fuzis seriam usados em invasão à sede da PCDF

BMW blindada e fuzis seriam usados em invasão à sede da PCDF

Bando planejava sequestrar o motorista de um caminhão e render os agentes na carceragem, de onde resgatariam um comparsa

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Criminosos pretendiam invadir o DPE e resgatar comparsa que estava na carceragem

Criminosos pretendiam invadir o DPE e resgatar comparsa que estava na carceragem

Dênio Simões/Agência Brasília

Uma investigação da Polícia Civil do Distrito Federal sobre o latrocínio contra um idoso em Ceilândia revelou um esquema em que criminosos pretendiam invadir o Departamento de Polícia Especializada (DPE) com um carro blindado e resgatar o líder de uma facção que atuava na capital federal. Diante da apuração, a PCDF cumpriu, no último domingo (3), mandados de prisão contra três homens envolvidos no assalto e que participariam do resgate. 

Em agosto, o trio teria participado de um latrocínio, em Ceilândia, em frente a uma agência bancária. Um dos assaltantes abordou um idoso quando ele se aproximava do banco com uma mochila. Dentro, havia grande quantidade de dinheiro que o idoso depositava semanalmente no local, a pedido da empresa em que trabalhava.

Durante a apuração do latrocínio, os investigadores da Divisão de Repressão a Roubos e Furtos (DRF/Corpatri) descobriram que o atirador ficou responsável também por libertar o líder de uma facção criminosa que estava detido no Complexo do DPE, situado ao lado do Parque da Cidade. Para isso, os bandidos pretendiam sequestrar o motorista de um caminhão que entrega marmitas à carceragem. Os criminosos o obrigariam a levá-los até a entrada do local onde o comparsa estava detido.

Fortemente armados, eles tinham a intenção de render os agentes penitenciários com fuzis e resgatar o líder, segundo as investigações. Uma BMW blindada daria cobertura à ação. Diante do planejamento, descoberto pela PCDF, o preso foi transferido do DPE para a Penitenciária da Papuda. Ele é investigado por uma série de homicídios no Assentamento 26 de Setembro, em Brasília.

Segundo a polícia, criminosos do Nordeste colaboraram para o plano de libertar um dos chefes do chamado "Novo Cangaço". Eles seriam especializados em roubos a agências bancárias com uso de violência, sobretudo em cidades do interior. Os comparsas que planejavam o resgate foram presos no último domingo no Gama e em Samambaia, no Distrito Federal.

“A investigação da Polícia Civil que desmobilizou esse plano e prendeu os criminosos mostra que estamos e estaremos sempre vigilantes e atuantes contra qualquer tipo de ação que gere insegurança ou ameaça não só da população como da PCDF. A desarticulação desse grupo também deve ocorrer em sede de execução penal. Faremos todas as gestões no sentido de incluir os envolvidos no Regime Disciplinar Diferenciado”, detalha o delegado Fernando Cocito, diretor da DRF/Corpatri.

O crime
No dia 16 de agosto, o idoso seguia com uma mochila com dinheiro em direção a uma agência bancária da QNN 1 de Ceilândia. Próximo à instituição, a vítima foi surpreendida por um dos bandidos, que efetuou vários disparos. Quatro atingiram o idoso.

Um dos criminosos tentou levar a mochila com o dinheiro, mas, como ela estava nas costas da vítima caída, não conseguiu e correu para o carro de fuga, no qual o motorista o aguardava.

A vítima chegou a ser socorrida e levada ao Hospital Regional de Ceilândia, mas morreu dois dias depois. O veículo usado na fuga foi localizado em um matagal na região do Sol Nascente, também em Ceilândia. A perícia apontou que os autores do crime tentaram atear fogo no automóvel. As investigações revelaram que o carro era roubado de Feira de Santana (BA).

Últimas