Brasília Bolsonaro diz que vai ligar para o presidente da Ucrânia no dia 18

Bolsonaro diz que vai ligar para o presidente da Ucrânia no dia 18

Caso o telefonema a Volodmir Zelenski ocorra, será a primeira vez que os líderes conversam entre si desde a invasão do país pela Rússia

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski

Sergei Supinsky/AFP - 23.02.2022

O presidente Jair Bolsonaro informou, nesta segunda-feira (11), que tem um telefonema agendado para o dia 18 deste mês com o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski. Caso a ligação de fato ocorra, será a primeira vez que os líderes conversam entre si desde a invasão do país pela Rússia.

A declaração foi dada à imprensa por Bolsonaro após a recepção da presidente da Hungria, Katalin Novák. "Trocamos algumas observações sobre o conflito que acontece ali próximo, a questão da Rússia e Ucrânia. Disse que no próximo dia 18 tenho um telefonema acertado com o Zelenski", afirmou Bolsonaro sobre a conversa com a presidente da Hungria.

"Assim como depois da minha visita à Rússia, antes do conflito, tive outra conversa com o presidente [Vladimir] Putin e nós queremos fazer cada vez mais pela paz. Sabemos que a verdade muitas vezes machuca, mas não tem outro caminho a não ser através dela para buscarmos o convívio pacífico entre os povos", prosseguiu.

Bolsonaro viajou para a Rússia em fevereiro deste ano. Ele se reuniu com Vladimir Putin no dia 16 daquele mês e defendeu a soberania dos países. A Rússia acabaria invadindo a Ucrânia em 24 de fevereiro.

Depois, em 27 de junho, Bolsonaro voltou a falar com Putin, dessa vez por telefone. Foram discutidos fertilizantes e produtos agrícolas. Durante conversa com a imprensa nesta segunda-feira (11), o líder brasileiro relatou que "está quase certo" um acordo com a Rússia para a compra de diesel.

"Na minha ida à Rússia, acertei fertilizantes para o agronegócio. E agora está quase certo um acordo para comprarmos diesel bem mais barato da Rússia", destacou, sem dar mais detalhes nem valores dos produtos.

Últimas