Brasília CNI: falta matéria-prima para micros e pequenas indústrias

CNI: falta matéria-prima para micros e pequenas indústrias

O Panorama da Pequena Indústria mostra que o problema persiste há cerca de um ano nas indústrias de transformação e construção

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Um estudo da CNI mostrou os desafios enfrentados por pequenas indústrias no último trimestre

Um estudo da CNI mostrou os desafios enfrentados por pequenas indústrias no último trimestre

Arquivo/Agência Brasil

Um levantamento trimestral feito pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostra que micros e pequenas indústrias registram a falta ou o alto custo de matérias-prima como os principais problemas enfrentados no último ano. O estudo Panorama da Pequena Indústria, divulgado nesta segunda-feira (8), constata que as MPEs (micro e pequenas empresas) de transformação e construção consideram ser esse o principal problema enfrentado. Ainda segundo o levantamento, as indústrias extrativas não foram afetadas pelo mesmo problema por tanto tempo. No entanto, apontaram outro desafio: a carga tributária no segundo trimestre deste ano.

A pesquisa é divulgada trimestralmente com base na análise dos dados da pequena indústria levantados na Sondagem Industrial, na Sondagem Indústria da Construção e no Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei). Todos os meses, as pesquisas ouvem mais de 900 empresários de companhias de pequeno porte.

O Panorama da Pequena Indústria elenca quatro indicadores: desempenho, situação financeira, perspectivas e índice de confiança. Todos os índices que medem o desempenho do setor variam de 0 a 100 pontos.  A composição dos índices leva em consideração itens como volume de produção, número de empregados, utilização da capacidade instalada, satisfação com o lucro operacional e situação financeira, facilidade de acesso ao crédito, expectativa de evolução da demanda e intenção de investimento e de contratações. Além disso, a pesquisa traz o ranking dos principais problemas enfrentados pelas MPEs em cada trimestre.

O levantamento mostra que a elevada carga tributária e a falta ou o alto custo da energia apareceram no ranking de principais problemas da pequena indústria neste trimestre. “A questão energética é um ponto de atenção, dado o contexto de crise hídrica atualmente vivido no Brasil”, destaca o relatório técnico.

Veja o ranking dos principais problemas das pequenas indústrias no Brasil

Desempenho e Faturamento aumentaram no último trimestre

Dois indicadores do levantamento tiveram aumento quando comparados ao trimestre anterior. São eles o Índice de Desempenho, que registrou 48,3 pontos no terceiro trimestre — resultado que está acima do índice médio do segundo trimestre de 2021 (46,5 pontos) e, também, acima da média histórica (43,3 pontos).

Índice de Situação Financeira

O Índice de Situação Financeira ficou em 42,6 pontos e pouco difere do índice do trimestre anterior (alta de 0,3 ponto). Quando comparado ao mesmo período de 2020, o indicador registrou uma alta um pouco maior, de 0,7 ponto. A melhora da situação financeira está relacionada às iniciativas que visam facilitar o acesso ao crédito.

Confiança e Perspectivas

O Índice de Confiança do Empresário Industrial, para as pequenas indústrias, registrou 56,9 pontos em outubro de 2021, uma queda de 0,7 ponto na comparação com setembro. Entretanto, permanece acima da linha divisória dos 50 pontos, que separa a confiança da falta de confiança, e segue acima da média histórica de 52,6 pontos. Esse resultado indica que a confiança dos empresários continua elevada e difundida entre as MPEs dos diversos setores. O Índice de Perspectivas da pequena indústria também recuou para 51 pontos, mas está bem acima da média histórica (46,3 pontos). 

Com informações da Confederação Nacional da Indústria

Últimas