Eleições 2022

Brasília Com janela partidária, mais de um terço dos distritais muda de sigla

Com janela partidária, mais de um terço dos distritais muda de sigla

Partido do presidente Jair Bolsonaro, PL tornou-se maior bancada da CLDF, com quatro deputados; prazo termina nesta sexta-feira

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Deputados durante sessão na CLDF

Deputados durante sessão na CLDF

CLDF/Divulgação

Mais de um terço dos deputados da Câmara Legistiva do Distrito Federal mudou de legenda durante a janela partidária. Foram nove trocas entre os 24 parlamentares da Casa desde a abertura do período permitido para saídas das siglas sem perda de mandato. O PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, se tornou a maior bancada, com quatro distritais.

Ampliação de bancada

O prazo para mundaças e novas filiações fixado pela Justiça Eleitoral começou em 3 de fevereiro e termina nesta sexta-feira (1º). Desde então, Roosevelt Vilela, ex-PSB, e Reginaldo Sardinha, ex-Avante, migraram para o Partido Liberal. Antes disso, Daniel Donizet já tinha trocado o PSL pelo PL. O quarto deputado é o vice-presidente do partido no DF, Agaciel Maia.

As negociações para definir a nominata (relação de nomes dos candidatos) estão intensas e se tornaram mais intrincadas com a recente rodada de filiações, segundo Agaciel. Na esteira de Bolsonaro, outros nomes passaram a integrar os quadros do partido na capital, como a suplente Kelly Bolsonaro e a deputada federal Bia Kicis.

Partido do governador Ibaneis Rocha, o MDB tem três representantes. Ainda há tempo para que a legenda cresça: Jaqueline Silva, que deixou o PTB, pode se filiar à agremiação. O PSD, que faz parte da base, também cresceu. Antes apenas Robério Negreiros era filiado à sigla na Casa. O partido agora conta com o reforço de Cláudio Abrantes e Jorge Vianna – que deixou o Podemos depois que a agremiação definiu que só lançaria candidatos sem mandato.

No campo da esquerda, o PV, que não teve distritais eleitos, conta agora com dois representantes. Leandro Grass, que havia se filiado em fevereiro com o intuito de se tornar candidato a governador, e Reginaldo Veras, que deixou o PDT para disputar uma vaga a deputado federal.

Após a fusão do DEM com o PSL, o União Brasil passou a ter dois deputados na CLDF. Eduardo Pedrosa já fazia parte do DEM, e Júlia Lucy se associou ao partido depois de ser expulsa do Novo. 

Extinção de bancada

Enquanto PL, MDB, PSD e PV ampliaram suas bancadas, outros partidos deixaram de ter representantes eleitos na CLDF. Além de Rede (Grass), PSB (Vilela) e Novo (Júlia), o PSC perdeu Iolando Almeida para o MDB e o PTB ficou sem Jaqueline Silva e sem José Gomes, agora filiado ao PP.

Últimas