Brasília DF: Fundo imobiliário vai financiar expansão de parque tecnológico

DF: Fundo imobiliário vai financiar expansão de parque tecnológico

Espaço destinado à 'cidade inteligente' foi projetado para abrigar casas, empresas e startups de inovação, e já testa 5G 

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Ibaneis participa do lançamento do fundo imobiliário que vai captar recursos para expansão do Biotic

Ibaneis participa do lançamento do fundo imobiliário que vai captar recursos para expansão do Biotic

Divulgação/Terracap

O projeto do Parque Tecnológico de Brasília, o Biotic, será expandido na Granja do Torto a partir da captação de recursos oriundos de um fundo imobiliário (FII). O papel foi lançado nesta quarta-feira (22), pelo governo do Distrito Federal, em um evento em São Paulo.

"[O Biotic] vai fazer com que o Distrito Federal seja uma das cidades mais modernas. Nós já criamos uma universidade do DF, que vai funcionar dentro do Biotic. Vamos levar lá para dentro todas as empresas de tecnologia", afirmou o governador Ibaneis Rocha (MDB), durante o evento. A criação da Universidade do DF foi sancionada por Ibaneis em julho.

A carteira vai ser gerida pela Integral Brei, e prevê a participação de fundos de pensão, fundos soberanos e grandes family offices. Nessa fase inicial, a intenção é arrecadar R$ 1,1 bilhão em novembro deste ano, mas o montante pode chegar a R$ 6 bilhões. Como o FII é voltado para o empreendimento que valoriza a tecnologia, é certificado como fundo ASG (Ambiental, Social e Governança).

O selo indica que esses três eixos que compõe a sigla são considerados nos processos do empreendimento e, por isso, também são chamados de fundos verdes, constituindo uma forma de investimento sustentável. Com o lançamento do fundo, será possível formar um caixa para o Biotic.

O Biotic

O Parque Tecnológico de Brasília (Biotic) será um polo de inovação, que pretende aliar tecnologia à sustentabilidade, ocupando uma área de 1 milhão m² entre o Parque Nacional e a Granja do Torto. O local pretende ser uma cidade inteligente, e deve reunir equipamentos como casas, escritórios, centros de ensino e pesquisas, rede de transporte, comércio e preservação ambiental.

Na área, já há escritórios do Banco de Brasília (BRB), Caixa Econômica e do Departamento de Trânsito (Detran). Ainda está prevista, ao longo dos próximos dez anos, a instalação de empresas do ramo de tecnologia da informação, comunicação e biotecnologia, sobretudo startups. No local, já são realizados os testes da nova geração de internet móvel de velocidade 5G. A responsável pelo projeto é a Terracap.

Últimas