Brasília DF reduz lista de espera por mamografia; detecção precoce eleva chances de cura do câncer

DF reduz lista de espera por mamografia; detecção precoce eleva chances de cura do câncer

Rede pública aumentou a capacidade de 2,3 mil para 6 mil exames mensais; Outubro Rosa alerta sobre importância da prevenção

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Mamografia é principal exame para detecção

Mamografia é principal exame para detecção

Sandro Araújo/Agência Saúde.

O governo do Distrito Federal aumentou a capacidade de exames de mamografia na rede pública de 2,3 mil para 6 mil procedimentos mensais de abril a junho deste ano. Com a medida, a lista de espera de 14 mil mulheres foi reduzida para 2,8 mil pacientes. A iniciativa é reforçada neste mês do Outubro Rosa, dedicado às campanhas que orientam as mulheres sobre o autoexame, sinais de alerta e procedimentos de rastreamento. Detectado precocemente, as chances de cura do câncer de mama ultrapassam 90%.

Para ter acesso aos serviços disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS), basta procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e passar por avaliação médica. Os casos de suspeita de câncer de mama são encaminhados para as unidades da rede que realizam mamografia, e logo depois voltam a ser avaliados pelo profissional médico.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

Referência em mastologia, o médico Flávio Lúcio Vasconcelos explica que a mamografia é o único exame que reduz em torno de 25% a mortalidade por câncer de mama. "Por isso, a gente sempre ressalta o quão importante é que as mulheres o realizem periodicamente. A recomendação é que, a partir dos 50 anos, elas façam o exame anualmente", afirma. No caso de histórico familiar da doença ou fatores de risco, o rastreamento periódico deve começar um pouco mais cedo, aos 35 anos.

Atualmente, o DF conta com 11 mamógrafos, distribuídos no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), Hospital de Base, Hospital Universitário de Brasília (HUB), no Centro Especializado em Saúde da Mulher (Cesmu) e nos hospitais regionais da Asa Norte (Hran), Santa Maria (HRSM), Samambaia (HRSam), Gama (HRG), Ceilândia (HRC), Taguatinga (HRT) e Sobradinho (HRS).

Previsão de diagnósticos em 2023

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a previsão é que sejam diagnosticados cerca de 73 mil casos de câncer de mama neste ano em todo o Brasil, índice que representa uma taxa de incidência de 41,89 casos a cada 100 mil mulheres. No DF, a estimativa é de 1.030 diagnósticos, taxa de 49,76 a cada 100 mil mulheres.

Confira alguns sinais de alerta:

- Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos;
- Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com uma casca de laranja;
- Alterações no bico do peito (mamilo);
- Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;
- Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Últimas