Brasília Distrito Federal aguarda vacinas para iniciar imunização de crianças

Distrito Federal aguarda vacinas para iniciar imunização de crianças

Vacinação na capital federal deve começar em até 48 horas depois da distribuição dos frascos

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Vacina da Pfizer para crianças

Vacina da Pfizer para crianças

Jack Guez/AFP - 23.12.2021

Depois da inclusão das crianças de 5 a 11 anos na campanha de vacinação contra a Covid-19 pelo Ministério da Saúde, o governo do Distrito Federal aguarda o envio das doses específicas da Pfizer/BioNTech para esse público. O encaminhamento é feito pelo órgão federal, que espera a entrega dos fármacos pela fabricante.

A estimativa da pasta é de que a primeira remessa com os frascos pediátricos deve desembarcar no país em 13 de janeiro. Com isso, o ministro Marcelo Queiroga tem afirmado que a imunização infantil deve começar na segunda quinzena deste mês. O governador Ibaneis Rocha (MDB) espera dar início à vacinação até 48 horas depois que as vacinas forem distribuídas. "Essa é a média de prazo", afirmou o governador.

O governo espera que cerca de 266.936 crianças sejam vacinadas no DF.

A pasta reforçou que a vacinação não é obrigatória e recomendou que os pais marquem uma consulta médica para avaliar contraindicações à aplicação da vacina. Além disso, o ministério quer que os responsáveis assinem um termo de permissão. Crianças indígenas, quilombolas, com deficiência ou comorbidades terão prioridade na fila de vacinação. Em seguida, a proposta é que se siga a ordem descrente de idade.

A vacinação de crianças tem sido alvo de polêmicas desde que foi autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em 16 de dezembro. A medida chegou a ser criticada pelo presidente Jair Bolsonaro. Agora, Bolsonaro e Queiroga têm até 10 de janeiro para prestar explicações sobre as motivações da consulta pública, no âmbito de um processo que tramita no STF (Supremo Tribunal Federal).

O resultado da consulta foi divulgado nesta terça (4): a maioria das 24 mil manifestações registradas foi contra a exigência de receita médica para vacinar o público dessa faixa etária. Esse foi um dos fatores que levaram o Ministério da Saúde a voltar atrás na exigência.

Últimas