Brasília Em São Paulo, Lula defende maior atuação do Estado na área social

Em São Paulo, Lula defende maior atuação do Estado na área social

Ele disse que vai 'colocar pobre no Orçamento e rico no Imposto de Renda'; Alckmin, Haddad e França participaram do evento

  • Brasília | Do R7

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento em Diadema (SP) neste sábado (9)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante evento em Diadema (SP) neste sábado (9)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à Presidência da República, defendeu neste sábado (9) uma maior participação do Estado na área social, durante evento com apoiadores em Diadema.

Lula destacou as dificuldades que o governo deve enfrentar nos próximos anos, caso seja eleito. "O que a gente quer é acabar com a pobreza e acabar com a miséria. A gente não quer passar fome, a gente não quer comer do pior. A inflação está maior, a taxa de juros está maior, o desemprego está maior e, o que é mais grave, a massa salarial está muito menor."

Lula disse que vai "colocar o pobre no Orçamento do Estado e colocar o rico no Imposto de Renda, para [ele] aprender a pagar Imposto de Renda sobre lucros e dividendos, coisa que eles não pagam".

O ex-governador Geraldo Alckmin, pré-candidato a vice de Lula, Fernando Haddad, pré-candidato ao Governo de São Paulo, e Márcio França, que deve concorrer ao Senado, também participaram do evento.

Márcio França (PSB) anunciou nessa sexta (8) a desistência da pré-candidatura ao Governo de São Paulo. Ele vinha sendo pressionado a abrir caminho para Haddad.

O ex-governador disse que está cumprindo a promessa que fez de deixar a candidatura ao governo se não fosse o mais bem posicionado nas pesquisas de intenção de voto. "É por isso que eu decidi apoiar agora a candidatura do Fernando Haddad para governador. Ele reuniu essas condições e está à frente nas pesquisas. É a hora de defender, antes de tudo, a democracia", afirmou, em comunicado nas redes sociais.

Últimas