Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Em um ano, Ministério da Justiça recebe 9 mil denúncias e investiga 2,8 mil ameaças em escolas do país

Operação Escola Segura também monitora redes sociais e já prendeu e apreendeu 400 pessoas envolvidas em ameaças

Brasília|Edis Henrique Peres, do R7, em Brasília


Pasta
monitora publicações com ameaças nas redes
Pasta monitora publicações com ameaças nas redes Gabriel Jabur/Agência Brasília - 07/07/2016

O Ministério da Justiça e Segurança Pública recebeu em um ano 9,4 mil denúncias, o que resulta numa média de 25,98 por dia, e investiga 2,8 mil casos de ameaça a escolas em todo o país. Os dados são de levantamento exclusivo feito pelo Estudantes Ensino Médio e apontam para a apreensão e prisão de 400 suspeitos envolvidos em atos e ameaças a instituições de ensino. A iniciativa foi criada em abril do ano passado, chamada Operação Escola Segura, e desde então foi contabilizado 12 tentativas de ataques em todo o Brasil.

Desde 2023, a pasta registrou 3,4 mil boletins de ocorrência e conduziu 1,6 mil pessoas às delegacias. Também foram cumpridos 381 mandados de busca e apreensão contra suspeitos.

A Operação Escola Segura atua com ações preventivas e repressivas e conta com a adesão das 27 unidades da federação. Na medida trabalham de forma integrada cerca de 51 chefes de delegacias de investigação e 89 chefes de agências de inteligência de Segurança Pública, como polícias Civis e Militar.

Ainda no ano passado, o programa lançou um edital de chamamento para escolher iniciativas de combate à violência escola, com investimento de R$ 150 milhões.

Publicidade

Ao R7, o Ministério da Justiça e Segurança Pública disse que "está trabalhando firmemente para identificar os agressores e aqueles que são responsáveis por processo de radicalização de crianças e adolescentes infratores".

"Embora seja um trabalho silencioso, tem sido cirúrgico na identificação e responsabilização dos infratores. Continuamos sempre vigilantes. O MJSP está realizando um trabalho incessante para identificar e responsabilizar essas pessoas. As equipes que acompanham esta temática foram reforçadas para atuar de maneira rápida junto aos estados", afirmou.

Publicidade

Redes sociais

Segundo a pasta, a cooperação com as plataformas de internet melhorou neste um ano de Operação, ainda assim, o Ministério tem conversado com as empresas para aperfeiçoar "os canais de comunicação e identificar, o quanto antes, este tipo de criminoso".

Apenas nas plataformas digitais, o Ministério solicitou informações de 1,5 conteúdos publicados nas redes, com 917 pedidos de remoções de posts e 446 pedidos de dados cadastrais das contas.

Publicidade

Relembre episódios de ataques

• Abril de 2023: um homem invade uma creche particular em Blumenau (SC) e mata quatro crianças. O crime aconteceu na unidade de ensino Cantinho Bom Pastor.

• Março de 2023: um aluno de 13 anos, de uma escola da zona Oeste de São Paulo, mata a facadas uma professora da instituição e deixa outros três professores e dois alunos feridos.

• Novembro de 2022: um adolescente de 16 anos armado invade duas escolas em Aracruz (ES) e mata quatro pessoas a tiros. O crime deixou 11 pessoas feridas. O menino era filho de um policial e usava um símbolo da suástica no braço.

• Outubro de 2022: um adolescente de 15 anos atira contra três menores em uma escola estadual de Sobral (CE). Ele foi apreendido com uma arma de fogo registrada no nome de um CAC (caçadores, atiradores e colecionadores de armas de fogo).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.