Brasília Entre os internados por Covid no DF, a maioria não se vacinou

Entre os internados por Covid no DF, a maioria não se vacinou

Segundo o secretário de Saúde, é alto o índice de pacientes com Covid-19 que não tomaram vacina ou tomaram apenas a D1

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Entre os internados no DF, a maioria não se vacinou ou não tomou a segunda dose

Entre os internados no DF, a maioria não se vacinou ou não tomou a segunda dose

Matthias Rietsche/Reuters - 29.7.2021

Entre os internados por Covid-19 nos hospitais do Distrito Federal, a maioria não tomou vacina contra o vírus ou tomou apenas uma dose dos imunizantes. É o que afirma o secretário de Saúde, general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache. Ele fez o comentário durante a coletiva de imprensa para divulgar o balanço semanal das ações contra a doença. Já o diretor de Vigilância Epidemiológica da Saúde, Fabiano dos Anjos, destacou que a procura da dose de reforço pelos pacientes imunossuprimidos ainda está baixa.

“Continua alto o índice de pacientes com Covid nos hospitais que não tomaram a vacina ou só tomaram a primeira dose”, afirmou Pafiadache, ao responder às perguntas dos repórteres. Dos Anjos falava sobre a programação do "Dia D" de vacinação contra a Covid no DF, previsto para o fim de novembro, mas ainda sem data marcada, quando o militar fez o alerta.

O diretor de Vigilância Epidemiológica também chamou atenção para a importância da imunização e das medidas não farmacológicas de combate ao vírus. “A Secretaria de Saúde apela para essas pessoas [que não se vacinaram ou não procuraram os postos para tomar a segunda dose ou a dose de reforço], porque esse público de imunossuprimidos é mais suscetível a adquirir uma infecção. A pessoa tomar apenas uma dose da vacina não significa que ela está protegida”, destacou.

“A vacina é a única forma de enfrentar diretamente o vírus, trazendo uma proteção para a comunidade, prevenindo principalmente casos graves e óbitos, associado a medidas não farmacológicas, como uso de máscara, isolamento social e lavagem de mãos”, completou Fabiano dos Anjos.

Ele também disse que o Governo do DF tem vacina da Pfizer para adolescentes e CoronaVac para os adultos que ainda não se imunizaram. "A vacina boa é a que está no braço", reforçou o diretor de Vigilância Epidemiológica.

Ao todo, a capital federal já aplicou 4.079.815 doses de vacina contra a Covid-19. Desse total, 2.254.750 foram de D1, 1.633.322 foram de D2, e 58.329 foram da dose única da Janssen. A Saúde aplicou, também, 125.086 doses de reforço para idosos e trabalhadores da saúde e 8.328 doses adicionais para imunossuprimidos. Entre os adolescentes, 87,44% da população acima de 12 anos já tomou a D1, e 65,6% já receberam as duas doses ou a dose única.

Últimas