Brasília Fachin se reúne com presidente do PL nesta quarta-feira

Fachin se reúne com presidente do PL nesta quarta-feira

Encontro entre presidente do TSE e Valdemar Costa Neto vem após reunião em que Bolsonaro colocou em xeque o sistema eleitoral

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Presidente do PL, Valdemar Costa Neto

Presidente do PL, Valdemar Costa Neto

Alan Rios

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Edson Fachin, e o líder do partido de Jair Bolsonaro, Valdemar Costa Neto, se reunirão no início da noite desta quarta-feira (27). A audiência acontece em meio a tensões entre o partido e a corte eleitoral. 

De um lado, o chefe do Executivo, que é candidato à reeleição presidencial, vem questionando o sistema eleitoral. Do outro, o TSE vem rebatendo as declarações do presidente da República. Costa Neto, presidente do PL, no entanto, já divulgou vídeo em que defende o sistema atual.

Na agenda de Fachin, o assunto do encontro é registrado apenas como uma “visita institucional”. Entretanto, no início da última semana, Bolsonaro chamou ao Palácio da Alvorada embaixadores de diversas missões diplomáticas e levantou suspeitas sobre as urnas eletrônicas, além de fazer críticas aos ministros do TSE.

Fachin também foi chamado para a reunião do presidente com embaixadores, mas recusou o convite. Recentemente, ele deu um prazo para que o chefe do Executivo se manifeste sobre denúncias contra ele protocoladas pela oposição no TSE, sobre o conteúdo daquela agenda. 

Após os questionamentos de Bolsonaro, Fachin chegou a declarar que era "hora de dizer basta”. O chefe do Executivo, por sua vez, vem fazendo críticas diretas à atuação de Fachin. "Não podemos esquecer que foi o Fachin o relator do processo [no STF] que retirou o Lula da cadeia. E agora está à frente do TSE. Ou seja, um tremendo desgaste para retirar Lula da cadeia, está à frente do TSE e tudo faz para que não haja transparência, obviamente, no meu entender, para eleger o Lula de forma não aceitável", afirmou Bolsonaro em junho.

Bolsonaro minimizou os conflitos no último sábado, afirmando que estaria disposto a conversar com o ministro sobre as eleições deste ano “sem problema nenhum”.

Últimas