Brasília Forças Armadas não questionaram segurança das eleições, diz TSE

Forças Armadas não questionaram segurança das eleições, diz TSE

Foram enviadas apenas perguntas para entender funcionamento do pleito, sem imputar nenhuma vulnerabilidade, informou Corte

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Sistema da urna eletrônica é adotado desde 2003 para realização das eleições no Brasil

Sistema da urna eletrônica é adotado desde 2003 para realização das eleições no Brasil

REUTERS/Rodolfo Buhrer-22/10/2018

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) informou que nos próximos dias vai enviar às Forças Armadas respostas sobre pedidos de acesso às informações sobre o sistema eleitoral. De acordo com a Corte, os militares não apontaram nenhuma "vulnerabilidade ou juízo de valor".

De acordo com o tribunal, "não procedem informações divulgadas nos últimos dias" que alegam que o sistema eletrônico de votação teria sido questionado pelas Forças Armadas. Em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que os militares levantaram "dezenas de vulnerabilidades" sobre o sistema eleitoral.

“Foram levantadas várias, dezenas de vulnerabilidades, foi oficiado o TSE para que pudesse responder às Forças Armadas — porque, afinal de contas, o TSE pode ser que esteja com a razão. Pode ser, por que não?”, disse o presidente. 

O chefe do Executivo afirmou que o prazo para resposta da Corte se encerrou, sem resposta. “Passou o prazo que a administração diz, 30 dias. Ficou um silêncio. Foi reiterado, o prazo se esgotou no dia de hoje, está certo?”, completou o presidente.

De acordo com o TSE, o pedido de informações foi protocolado pouco antes do recesso, por isso ainda não foi respondido. A instituição declarou que se trata de perguntas técnicas e muitas vezes com certo grau de complexidade. "Cabe destacar que são apenas pedidos de informações, para compreender o funcionamento do sistema eletrônico de votação, sem qualquer comentário ou juízo de valor sobre segurança ou vulnerabilidades", destacou o tribunal. 

Últimas