Brasília Forças de segurança articulam plano de ações integradas para ato em Brasília em 8 de janeiro de 2024

Forças de segurança articulam plano de ações integradas para ato em Brasília em 8 de janeiro de 2024

Evento foi proposto pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para marcar um ano desde os ataques às sedes dos Três Poderes

  • Brasília | Do R7, com informações da Agência Brasil

Sedes dos Três Poderes foram vandalizadas em 8/1

Sedes dos Três Poderes foram vandalizadas em 8/1

Jefferson Rudy/Agência Senado

Representantes das áreas de segurança dos Três Poderes devem apresentar, até 4 de janeiro, um plano de ações integradas para o ato proposto pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, previsto para 8 de janeiro de 2024.

A data do evento marca um ano desde os ataques de vândalos ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal e ao Palácio do Planalto, no início de 2023.

Para viabilizar a integração de forças e a troca de informações para o evento, o secretário-executivo do Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli, se reuniu na terça-feira (26) com representantes da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF), do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e da Secretaria Nacional de Segurança Pública, além dos chefes de segurança do Senado, da Câmara dos Deputados e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Segundo o secretário-executivo, o evento — que contará com a presença dos presidentes dos Três Poderes, de governadores, parlamentares, representantes da sociedade civil, ministros e presidentes de Tribunais de Justiça estaduais e de Assembleias Legislativas — será “um ato de celebração democrática, com todas as autoridades do Brasil”.

Segundo Cappelli, um trabalho para monitorar “ameaças de ataques às instituições democráticas” vem sendo feito, e não há nada que gere maior preocupação. “Mas o trabalho [preventivo, de prontidão e de monitoramento] é fundamental para que tudo corra bem”, acrescentou.

Últimas