Brasília GDF prevê iniciar vacinação para 12 anos até o fim da semana

GDF prevê iniciar vacinação para 12 anos até o fim da semana

Ibaneis condicionou medida à entrega de mais remessas de vacinas; nesta terça teve início vacinação para 13 anos

  • Brasília | Jessica Moura, do R7, em Brasília

O governador Ibaneis Rocha, que prevê iniciar a vacinação contra Covid para adolescentes de 12 anos até o fim de semana

O governador Ibaneis Rocha, que prevê iniciar a vacinação contra Covid para adolescentes de 12 anos até o fim de semana

Vítor Mendonça/Jornal de Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou nesta terça-feira (21) que pretende reduzir a faixa etária do público-alvo da vacinação contra a Covid-19 para 12 anos até o fim desta semana. Segundo o chefe do Executivo, para isso é necessário que o Ministério da Saúde entregue novas remessas de imunizantes ao DF.

"A gente espera, mais para o final da semana, vacinar o público de 12 anos, e avançar também na vacinação das pessoas com antecipação da dose, que estavam previstas para 27 de outubro, para que a gente possa ter a imunização completa de toda a população do Distrito Federal", afirmou em coletiva de imprensa.

O governador voltou a criticar o posicionamento do Ministério da Saúde, que na semana passada recomendou a vacinação apenas aos jovens menores de 18 anos com comorbidades. "A posição do ministério não veio amparada de estudos técnicos. A Sociedade Brasileira de Infectologia, a própria Anvisa e várias outras entidades se posicionaram favoravelmente à continuidade da vacinação", disse Ibaneis.

Apesar da recomendação, o DF, assim como outras unidades da Federação, decidiu continuar com a imunização de todos os adolescentes. Nesta terça-feira teve início a vacinação dos jovens de 13 anos e a aplicação da dose de reforço em idosos que vivem em asilos.

Flexibilização
Ibaneis confirmou que pretende editar um decreto para flexibilizar as medidas restritivas no DF, permitindo a realização de eventos na capital federal. O governador ressaltou que os eventos só poderiam ocorrer com 50% da capacidade de público, que deverá ficar sentado e apresentar comprovante de vacinação e teste PCR negativo.

"O motivo dessa medida é que nós temos que, de algum modo, principalmente agora com a vacinação, tentar retomar à normalidade. Essa é uma medida que já vem sendo tomada em outros estados, que eu entendo, pelo momento do Distrito Federal, em que nós temos uma condição de leitos razoável e elevado número de pessoas vacinadas, que a gente pode começar a avançar um pouco mais no sentido da normalidade", afirmou.

Leitos
O governador ainda condicionou a autorização para os eventos à contratação de mais leitos de UTI em hospitais de campanha. O processo precisa ser aprovado pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF).

Economia
Ibaneis rebateu as críticas do presidente da República, Jair Bolsonaro, aos governadores em relação à cobrança do ICMS pelas unidades da Federação, o que tem impacto no preço dos combustíveis. "Essa responsabilidade está tentando ser transferida pelo governo federal em relação ao aumento, mas o que nós sabemos é que temos sete aumentos consecutivos do preço dos combustíveis", declarou o governador. 

"A culpa é justamente desses preços que estão sendo cobrados, absurdos, eu acredito, porque não se pode simplesmente calcular em dólar o barril do petróleo e colocar esse preço no mercado diretamente". A Câmara Legislativa aprovou o projeto de lei para reduzir o ICMS que incide sobre os combustíveis para dimunuir o valor cobrado nas bombas.

"O Brasil é um grande produtor de petróleo e a gente deveria ter condições de ter um preço do combustível mais em conta", declarou Ibaneis. "Essa colocação ficou bem clara na carta dos governadores, e essa responsabilidade, se é que ela existe, tem que ser apontada para o rumo certo."

Últimas