Brasília Governo lança nesta terça-feira aplicativo que bloqueia celulares roubados; veja detalhes

Governo lança nesta terça-feira aplicativo que bloqueia celulares roubados; veja detalhes

Celular Seguro vai estar disponível na internet e nas principais lojas de aplicativos; registro do usuário vai utilizar conta do gov.br

  • Brasília | Rafaela Soares, do R7, em Brasília

Nova ferramenta será lançada nesta terça-feira

Nova ferramenta será lançada nesta terça-feira

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Ministério da Justiça e Segurança Pública lança o site e aplicativo Celular Seguro nesta terça-feira (19). Com o novo serviço, pessoas que forem vítimas de furto ou roubo vão poder bloquear o aparelho, a linha telefônica e os aplicativos bancários em poucos cliques. Segundo dados do último Anuário Brasileiro de Segurança Pública, em 2022 o Brasil registrou aumento de 16% desse tipo de crime em relação ao ano anterior.

A nova ferramenta vai estar disponível na internet e nas principais lojas de aplicativos. O registro do usuário vai utilizar a mesma conta do gov.br, plataforma de acesso a serviços do governo federal. Cada pessoa cadastrada poderá indicar contatos de segurança, que vão poder efetuar os bloqueios se o titular tiver o aparelho roubado ou furtado.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), instituições financeiras e entidades privadas são parceiras da ação.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Dados

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2023 divulgou o registro de quase 1 milhão de casos de roubo ou furto de celulares em 2022 no Brasil. O índice representa crescimento de 16,6% quando comparado ao do ano de 2021.

A Paraíba foi o estado com o maior aumento desse tipo de ocorrência, com 157,7%. Bahia, com 132,2%, e Rio de Janeiro, com 109,3%, completam a lista dos estados com os mais registros.

Veja os maiores aumentos na relação comparativa entre 2022 e 2021

• Paraíba: 157,7%
Bahia: 132,2%
Rio de Janeiro: 109,3%
Sergipe: 78,5%
Pernambuco: 49,3%

Últimas