Brasília Integrante do PCC do Distrito Federal é preso em São Paulo

Integrante do PCC do Distrito Federal é preso em São Paulo

Ele foi capturado em Piracicaba. Outro homem que estava no local é suspeito de participar do assalto em Araçatuba

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

PCDF/Divulgação

Um homem que atuava na célula do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Distrito Federal foi preso nesta terça-feira (31) em Piracicaba, cidade a 369km de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o homem conhecido como Luiz Adriano estava escondido em uma região de chácaras, de onde geria os negócios do PCC no DF.

Luiz Adriano tinha um mandado de prisão preventivo expedido pela Justiça desde junho de 2021, após ser investigado no âmbito da Operação Tríade, de caça ao crime organizado na capital federal. Ele também já tinha sido condenado por tráfico de drogas no DF.

Além de Adriano,  dois homens que estavam na casa também foram presos. Um deles, segundo informações obtidas no local pelos policiais, estava com os braços feridos e é suspeito de participar do assalto na cidade de Araçatuba (SP), na madrugada de segunda-feira (30).

As prisões foram realizadas pela Polícia Civil do Distrito Federal, por meio da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado do Departamento de Combate a Corrupção e ao Crime Organizado (DRACO/DECOR), com apoio da Polícia Civil do Estado de São Paulo (PCSP).
Ao final da ação policial os três detidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia da região onde foi realizado o cumprimento dos mandados de prisão.

Operação Tríade
A Operação Tríade foi deflagrada em 9 de junho deste ano com o objetivo de desarticular a célula do PCC no Distrito Federal. Ao todo, foram expedidos 14 mandados de prisão e 15 de busca e apreensão no DF, Goiás, São Paulo e Piauí. Havia mandados de prisão preventiva contra líderes da organização que já estavam presos no Complexo Penitenciário da Papuda.
As investigações apontam que o braço brasiliense da facção é responsável por crimes que vão desde uma série de homicídios até tráfico de drogas e armas em várias regiões administrativas.

Últimas