Brasília Membros do Podemos esperam que Arthur do Val peça desfiliação

Membros do Podemos esperam que Arthur do Val peça desfiliação

Deputado, que viajou à Ucrânia para acompanhar invasão russa, afirmou em áudio que 'ucranianas são fáceis porque são pobres'

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O deputado Arthur do Val (Podemos-SP)

O deputado Arthur do Val (Podemos-SP)

Edu Garcia/R7 - 19.09.2019

Integrantes do alto escalão do Podemos esperam que o deputado estadual Arthur do Val, autor de áudio que afirma que as "ucranianas são fáceis porque são pobres", peça a desfiliação do partido.

De acordo com parlamentares ouvidos pela reportagem, o pedido de desfiliação é mais rápido do que o processo a ser aberto pela legenda — que envolve, entre outras etapas, deliberação da Executiva, prazo para recurso e de defesa.

A expectativa de membros do partido é que o pedido ocorra nos próximos dias. A presidente do Podemos, deputada federal Renata Abreu (SP), já foi informada de que integrantes do partido na Câmara dos Deputados e no Senado são a favor da expulsão do parlamentar, conhecido como Mamãe Falei.

Em um áudio que vazou na internet na última sexta-feira (4), pode-se ouvir Mamãe Falei afirmando que as mulheres ucranianas são "fáceis porque são pobres". O parlamentar tinha ido à Ucrânia, juntamente com o coordenador do MBL, Renan dos Santos, dizendo que iria acompanhar a invasão das tropas militares russas.

"Vou te dizer, são fáceis, porque elas são pobres. E aqui, minha carta do Instagram, cheia de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, mas eu colei em duas 'minas', em dois grupos de 'mina' (sic), e é inacreditável a facilidade", afirma o deputado na gravação.

Em outros trechos, ele cita as refugiadas. "A fila das refugiadas, irmão. Imagina uma fila de sei lá, de 200 metros ou mais, só deusa. Sem noção, inacreditável, é um bagulho fora de série. Se pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila de refugiados aqui", disse o deputado, que prometeu voltar ao local.

Logo após a divulgação dos áudios, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro, candidato do Podemos ao Palácio do Planalto nas eleições de outubro, repudiou a declaração e criticou o parlamentar.

"As declarações são incompatíveis com qualquer homem público. Portanto, jamais comungarei com visões preconceituosas, que podem inclusive ser configuradas como crime", disse.

"Meu respeito incondicional às mulheres em geral e às ucranianas, porque além de todos os problemas diários enfrentados, precisam conviver com os horrores da guerra. Jamais dividirei meu palanque e apoiarei pessoas que têm esse tipo de opinião e comportamento", completou.

A presidente do Podemos classificou como "gravíssimas e inaceitáveis" as declarações de Arthur do Val. Renata afirmou que o partido repudia com veemência e que instaurou, de imediato, procedimento disciplinar interno para apuração dos fatos.

O parlamentar ainda retirou a sua pré-candidatura ao governo de São Paulo. Agora, a legenda analisa apoiar o vice-governador, Rodrigo Garcia, para o posto.

O R7 procurou o deputado estadual e aguarda retorno.

Últimas