Brasília Pandemia não vai piorar por falta do passaporte, diz secretário

Pandemia não vai piorar por falta do passaporte, diz secretário

Segundo Rodrigo Cruz, adiar a exigência do comprovante por sete dias não mudará cenário epidemiológico do país

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, disse que o Brasil não corre riscos de um novo agravamento da pandemia da Covid-19 em razão do adiamento, por sete dias, da portaria que iria determinar a apresentação do comprovante de vacinação contra a doença para quem quiser entrar no país por via aérea.

“Hoje, temos um cenário epidemiológico mais confortável. Temos mais de 90% da população-alvo já imunizada com a primeira dose e estão restritos os voos identificados de países com a variante Ômicron. Portanto, o entendimento do governo é de que uma semana não vai gerar alteração no cenário epidemiológico”, afirmou Cruz em entrevista coletiva nesta sexta-feira (10).

A portaria entraria em vigor neste sábado (11), mas foi postergada em razão de um ataque de hackers ao site oficial do Ministério da Saúde na madrugada desta sexta. Uma das páginas atingidas foi a do ConecteSUS, que disponibiliza o comprovante de vacinação contra a Covid-19. Com isso, muitos brasileiros não conseguem ter acesso ao documento.

O secretário-executivo foi questionado se a portaria poderia ter sido alterada para determinar que a apresentação do passaporte vacinal deveria valer apenas para estrangeiros, visto que eles não dependem do ConecteSUS para ter o comprovante, mas respondeu que isso poderia gerar confusões e que era melhor adiar o prazo para a norma passar a valer.

“O ministério entendeu ser interessante padronizar a situação. Nós poderíamos gerar muitas exceções, como a de um estrangeiro residente no Brasil que se imunizou aqui e não tem acesso aos dados. Por prudência, nós entendemos ser interessante postergar [a portaria]”, explicou.

Alternativas

Cruz disse que os brasileiros que não conseguiram baixar o comprovante disponibilizado pelo Ministério da Saúde podem utilizar o cartão físico de vacinação, que contém o comprovante de imunização contra a Covid-19. Para quem perdeu esse cartão, o secretário-executivo recomenda procurar o local onde a vacina foi aplicada para pedir uma segunda via.

Ele ainda lembrou que alguns estados e municípios possuem serviços próprios para disponibilizar o comprovante de vacinação, sem depender dos dados do Ministério da Saúde: Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, São Paulo, Curitiba e Salvador.

Cruz disse que a pasta “está trabalhando intensamente para restabelecer da forma mais rápida possível” para restabelecer as informações sobre o comprovante de vacinação, mas não deu um prazo de quando a página voltará ao ar. “É muito cedo para dar uma estimativa de prazo. Não temos, ainda, informações precisas, mas assim que tivermos uma posição da equipe de tecnologia, informaremos a todos.”

Outros países

Em razão da instabilidade, Cruz informou que o Ministério das Relações Exteriores vai avisar os países que receberão voos do Brasil nos próximos dias. Para os que exigem a apresentação do comprovante de vacinação para o ingresso de brasileiros, o governo federal vai pedir que o documento físico seja considerado válido.

“O que a gente fez foi falar com o Ministério das Relações Exteriores para comunicar a todos os países que receberão voos do Brasil para comunicar o ocorrido. Estamos enviando o comunicado que sugere que o cartão físico também seja aceito e lembrando que o comprovante podia ter sido salvo, as pessoas que baixaram o PDF, que continua valendo”, comentou.

Veja se seus dados foram apagados do Ministério da Saúde por hackers

O ataque cibernético contra os sistemas do Ministério da Saúde comprometeu dados de saúde de mais de 170 milhões de brasileiros. Além de informações sobre a vacinação contra a Covid-19, muitos usuários perderam dados sobre exames realizados, outras vacinas e até de medicamentos que foram recebidos pelo Sistema Único de Saúde.

Por meio do aplicativo Conecte SUS, que pode ser acessado por celular ou pelo computador (acesse por aqui), é possível saber quais dados foram removidos pelos criminosos que atuam por meio da internet. Quem não conseguir acessar o cadastro pelo computador, em razão da instabilidade no site, pode baixar o aplicativo para celular e consultar as informações.

Para alguns usuários, embora as informações sobre vacinas tenham sido removidas, os dados sobre exames realizados, resultados de testes de Covid e medicamentos controlados permaneceram. Para acessar as informações, é necessário fazer um cadastro no domínio gov.br, que libera o acesso aos dados gerais do cidadão, como CNH (carteira nacional de habilitação), de saúde, educacionais, entre outros.

Para fazer cadastro no gov.br, clique aqui. Caso você não consiga acessar os dados de saúde pelo computador, baixe o aplicativo Conecte SUS para Android aqui, ou para IOS aqui, e entre com o cadastro do gov.br.

Últimas