Invasão do Planalto, STF e Congresso em Brasília

Brasília PM faz operação para desmontar acampamento de manifestantes no QG do Exército, em Brasília

PM faz operação para desmontar acampamento de manifestantes no QG do Exército, em Brasília

Policiais da tropa de choque chegaram ao local enquanto manifestantes desmontavam as barracas para deixar a área

  • Brasília | Do R7, com informações da Reuters

Manifestantes no acampamento em frente ao QG do Exército, em Brasília, em novembro do ano passado

Manifestantes no acampamento em frente ao QG do Exército, em Brasília, em novembro do ano passado

Luiz Calcagno/R7

A Polícia Militar do Distrito Federal chegou nesta segunda-feira (9) ao local onde apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro estão acampados do lado de fora do Quartel-General do Exército, em Brasília, mostraram imagens da Reuters TV.

Policiais da tropa de choque, equipados com capacete e escudo, estavam no local juntamente com policiais a cavalo, enquanto apoiadores de Bolsonaro desmontavam barracas e deixavam o local com malas.

A movimentação no entorno do Quartel-General do Exército acontece depois de, no domingo (8), extremistas terem invadido o Palácio do Planalto e os prédios do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) e depredado e vandalizado as sedes dos três Poderes.

A presença policial no local também acontece depois de, na madrugada de domingo, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, determinar o desmonte do acampamento bolsonarista do lado de fora do QG do Exército.

Invasões

Vídeos publicados nas redes sociais mostram o momento em que os manifestantes subiram a rampa do Congresso Nacional e invadiram a parte superior, onde ficam as cúpulas do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, além do Salão Verde, dentro do edifício.

Depois, o grupo invadiu o Palácio do Planalto, sede da Presidência da República, local onde o presidente da República despacha, em Brasília.

Manifestantes invadiram, ainda, o edifício do STF. No local, vidros foram quebrados e objetos, destruídos nas dependências da Corte. Imagens divulgadas nas redes sociais mostram a porta arrancada do armário que o ministro Alexandre de Moraes utiliza para guardar a toga.

Últimas