Brasília Presidente eleito do Paraguai diz estar otimista para negociar revisão do Tratado de Itaipu com Lula

Presidente eleito do Paraguai diz estar otimista para negociar revisão do Tratado de Itaipu com Lula

Países terão de decidir até o fim do ano se vão renovar regra que obriga Paraguai a vender energia que não consome ao Brasil

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Presidente eleito do Paraguai Santiago Peña e Lula

Presidente eleito do Paraguai Santiago Peña e Lula

Adriano Machado/Reuters

O presidente eleito do Paraguai, Santiago Peña, se reuniu nesta terça-feira (16) com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Palácio do Planalto e disse estar otimista para uma rápida conclusão da revisão do Tratado de Itaipu com o governo brasileiro.

O acordo firmado entre os dois países em 1973 que permitiu aproveitamento hidrelétrico do Rio Paraná por ambas as nações estabeleceu que, após 50 anos, seria necessário renegociar o trecho do tratado que obrigava o Paraguai a vender o excedente energético a preço de custo ao Brasil, visto que o país não consome toda a energia que produz. Essa regra está prevista no chamado "anexo C".

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

A assinatura do anexo C completa 50 anos em 13 de agosto. Segundo Peña, a revisão desse trecho do acordo não deve demorar. "Vai ser rápido. Há uma enorme predisposição do presidente Lula. Vamos trabalhar muito para chegar a um acordo o mais rápido possível", destacou o presidente eleito do Paraguai, que defendeu uma negociação sobre outras partes do tratado.

"Temos que saber isso que está estabelecido no anexo C, que são as condições financeiras, mas nada impede que possamos discutir todo o tratado, os anexos A e B, o tratado em si que foi sujeito, no passado, a revisão. Não estamos só limitados a ver condições financeiras, como também temos que definir qual o papel que vai cumprir esse grande empreendimento binacional," disse o presidente eleito do Paraguai. 

Últimas