Lula

Brasília PT aprova indicação de Alckmin para vice de Lula

PT aprova indicação de Alckmin para vice de Lula

Em reunião desta quarta, diretório do PT aprovou propostas que estavam encaminhadas, como federação e chapa com Alckmin

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Carlos Siqueira (PSB), Geraldo Alckmin (PSB), Lula (PT) e Gleisi Hoffmann (PT)

Carlos Siqueira (PSB), Geraldo Alckmin (PSB), Lula (PT) e Gleisi Hoffmann (PT)

Ricardo Stuckert - Arquivo

O PT aprovou a indicação do nome de Geraldo Alckmin (PSB) para compor chapa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa pela eleição presidencial deste ano. O PSB indicou oficialmente o nome do ex-governador na última sexta-feira (8). Nesta quarta-feira (13), a Executiva Nacional do PT aprovou Alckmin para vice por 68 votos a favor e 16 contra.

Os números foram divulgados pelo vice-presidente nacional do PT, o deputado José Guimarães (CE). Em nota, o partido avaliou essa primeira aprovação como um passo na direção almejada. Embora a decisão tenha sido tomada hoje, a confirmação só ocorre na convenção nacional, em 4 e 5 de julho.

"A coligação nacional com o PSB, que apresentou formalmente o nome do ex-governador Geraldo Alckmin para compor a chapa como candidato a vice-presidente de Lula, será um importante passo na direção almejada. Confirmará nossa disposição de, no governo, implementar um programa de reconstrução e transformação do Brasil, ampliando nossa base social."

O ex-tucano Geraldo Alckmin já foi um crítico ferrenho da política petista e do ex-presidente Lula. Durante evento da última sexta-feira (8), Lula disse que sempre houve respeito entre ambos. Nas redes sociais dos políticos, porém, os ataques passados entre os dois ainda seguem ativos.

Federação partidária

Na mesma reunião, o PT aprovou a criação de uma federação partidária com o PV e com o PCdoB. Com a decisão, que ainda será registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), as três siglas passam a compartilhar recursos como tempo de televisão e verbas eleitorais.

A federação tinha sido anunciada em março e nesta quarta-feira (13) também recebeu um estatuto. Ao longo do dia, petistas discutem uma coligação com o PSB — nessa modalidade, não há compartilhamento de verbas e tempo de televisão. A ideia inicial era de que o PSB também entrasse na federação, mas as negociações não avançaram.

As federações partidárias são parcerias com natureza permanente. Elas são formadas por partidos que têm afinidade programática e duram pelo menos os quatro anos. Se algum partido deixar a federação antes desse prazo, sofre punições, tais como a proibição de utilização dos recursos do Fundo Partidário pelo período remanescente.

Além disso as federações devem ter abrangência nacional, o que também as diferencia do regime de coligações, que têm alcance estadual e podem variar de um estado para outro. Saiba aqui as diferenças entre coligação e federação partidária.

Últimas