Brasília Saúde decide não exigir prescrição médica para vacinar crianças

Saúde decide não exigir prescrição médica para vacinar crianças

Decisão vai ao encontro de determinação do Supremo que estabelece que governo envie informações sobre a imunização

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Vacinas contra a Covid-19

Vacinas contra a Covid-19

Filip Singer/EFE/EPA - 04.01.2022

O Ministério da Saúde decidiu não exigir prescrição médica para a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. A informação foi confirmada ao R7 por fontes do governo e do Supremo Tribunal Federal (STF). Haverá uma recomendação da Pasta de pedido médico, mas o documento não será obrigatório para aplicação das doses.

A Corte avalia um pedido de parlamentares para que a imunização infantil tenha início imediato. O tribunal já tinha determinado que a Pasta apresentasse um cronograma, sem exigir pedido médico.

No entanto, o ministro relator do caso, Ricardo Lewandowski, estendeu o prazo para que o governo apresente argumentos e o planejamento.

O prazo-limite para o envio de informações ao Supremo termina nesta quarta-feira (5). A imunização deve começar na segunda quinzena deste mês, com a chegada de doses da Pfizer. O governo deve apresentar, também nesta quarta, o cronograma da chegada de doses. A decisão do Supremo determina que a imunização ocorra antes do início das aulas nas escolas. 

No entanto, o governo depende da chegada dos imunizantes adaptados, já que as crianças recebem dose com menor quantidade do imunizante. No mundo, cerca de 30 países, inclusive os Estados Unidos, já iniciaram a vacinação de quem tem 11 anos ou menos, temendo o aumento de internações em razão da variante Ômicron, que se espalha pelos continentes.

Últimas