Economia Ibovespa avança pela 3ª vez seguida puxado por negociação entre EUA e China

Ibovespa avança pela 3ª vez seguida puxado por negociação entre EUA e China

Por Peter Frontini

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa avançou pelo terceiro pregão consecutivo nesta sexta-feira, amparado mais uma vez pelo otimismo relacionado à negociação entre Estados Unidos e China, que afirmaram no final da sessão que tiveram grandes avanços para o fim da guerra comercial.

O Ibovespa subiu 1,98%, a 103.831,92 pontos. O volume financeiro somou 15,58 bilhões de reais. Na semana, o índice reverteu a queda que registrou nas duas primeiras sessões e avançou 1,25%.Após uma sessão muito positiva para mercados globais, com agentes financeiros otimistas com o segundo dia de negociações comerciais, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que seu país e a China chegaram a um acordo comercial preliminar, envolvendo ainda questões de propriedades intelectual, serviços financeiros e grandes compras agrícolas.

Os dois lados afirmaram perto do final da sessão que estão muito próximos de encerrar a guerra comercial. Trump afirmou a jornalistas que vai ser preciso até cinco semanas para a conclusão da redação do acordo definitivo com Pequim. Por sua vez, o vice-premiê chinês, Liu He, disse que ambos os lados fizeram substancial progresso em vários campos e que vão continuar com os esforços para um acordo.

Em Wall Street, o S&P 500 ganhou 1,1% e o Dow Jones subiu 1,2%.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse a repórteres que Trump concordou em não avançar com um aumento nas tarifas sobre cerca de 250 bilhões de dólares em produtos chineses que deveriam entrar em vigor na terça-feira.

None

DESTAQUES

- VALE ON subiu 3%, acompanhando o movimento das ações de outras mineradoras na Europa, em meio ao ambiente mais favorável quanto às negociações comerciais. Analistas da corretora Safra também esperam resultados fortes da companhia para o terceiro trimestre. Papéis de siderúrgicas também se valorizaram, CSN ON fechou em alta de 1,8%. USIMINAS PNA teve ganho de 2,7 por cento e Gerdau subiu 2,4 por cento.

None

- BRADESCO PN avançou 1,1%, com o setor bancário como um todo no azul. ITAÚ UNIBANCO PN ganhou 1,3%.

None

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON valorizaram-se 1,9% e 1,5%, respectivamente, com alta dos preços do petróleo no mercado externo.

None

- B2W ON saltou 8%, com papéis de varejo também entre os destaques positivo da sessão, incluindo MAGAZINE LUIZA ON, que subiu 4%, e VIA VAREJO ON tendo alta de 2,9%. Analistas do Itaú BBA elevaram a recomendação de B2W e Magazine Luiza a 'outperform'.

None

- GOL PN ganhou 4,7%. A empresa está negociando parceria com a American Airlines para integrar voos das duas companhias. No setor, AZUL PN avançou 1,45%.

None

- B3 subiu 2,25%, também entre os principais suportes para o Ibovespa, após a publicação de dados operacionais de setembro divulgados na véspera. Analistas do Credit Suisse consideraram os números fortes, com uma sinalização bastante positiva para o trimestre. [nCVM1LtyvZ]

None

- ELETROBRAS PNB perdeu 2%, como uma das poucas quedas do índice. A empresa anunciou na noite da véspera que realizará o Segundo Plano de Demissão Consensual 2019 (PDC), com meta de desligamento de 1.681 empregados até 31 de dezembro deste ano, como parte dos esforços de reduzir custos com funcionários que podem chegar a 510 milhões de reais ao ano.

None

- VIVARA caiu 1,6%, em seu segundo dia de pregão, encerrando a sessão com preço abaixo do IPO.