Economia Ibovespa reverte alta da manhã, desaba e volta aos 95 mil pontos

Ibovespa reverte alta da manhã, desaba e volta aos 95 mil pontos

Principal índice do mercado acionário brasileiro caia 1,77% às 15h10, com fortes perdas de empresas do setor educacional

  • Economia | Do R7, com Reuters

Queda do índice é guiada por temos fiscal no Brasil

Queda do índice é guiada por temos fiscal no Brasil

Amanda Perobelli/Reuters

Após abrir o dia em alta, o Ibovespa virou o sinal e ampliou as perdas na tarde desta segunda-feira (28), retornando ao nível de 95 mil pontos. O cenário reflete a cautela de agentes do mercado financeiro com a situação fiscal do Brasil.

Às 15h10, o principal índice do mercado acionário brasileiro caía 1,77%, a 95.279 pontos. O volume financeiro era de R$ 19,8 bilhões.

O índice, que chegou a operar em alta no começo da sessão, inverteu a tendência após anúncio de que o presidente Jair Bolsonaro deu sinal verde para fechar a proposta do Renda Cidadã, programa de transferência de renda a ser criado em substituição ao Bolsa Família.

Apesar da afirmação do senador Marcio Bittar de que o programa será custeado com a verba do próprio Bolsa Família, com sobra de recursos após pagamento de precatórios e com uma fatia da verba do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica), não foi divulgado o valor do novo programa.

Diante do anúncio, as empresas de educação, como YDUQS (−5.59%) e COGNA (−4.3%), lideravam as perdas da sessão. Também figuram em baixa os papeís da Eletrobras (−5%).

Apesar do desempenho negativo, papéis de bancos evitavam uma queda ainda maior do índice. Ações do Santander subiam cerca de 4%, enquanto ações do Bradesco ganhavam 1% e do Banco do Brasil subiam 1,5%.

A escassez de informações a respeito do Renda Cidadã elevou a aversão ao risco de investidores, afirma Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da Nova Futura Investimentos. "O mercado prefere esperar um pouco e tomar uma posição mais cautelosa", afirmou.

Últimas