Economia Justiça de SP impede venda de área comercial da Embraer para Boeing

Justiça de SP impede venda de área comercial da Embraer para Boeing

Decisão atende ao pedido de deputados federais que pedia a suspensão imediata das tratativas entre as empresas

Embraer

Boeing tenta formar empresa conjunta com a Embraer

Boeing tenta formar empresa conjunta com a Embraer

Divulgação/Embraer

A Justiça Federal de São Paulo concedeu nesta quinta-feira (6) uma decisão provisória que impede que o conselho de administração da Embraer tome qualquer decisão que permita a separação da área comercial da empresa para formar uma empresa conjunta com a Boeing.

O veredito do juiz Victorio Giuzio Neto foi tomado em ação movida por quatro deputados federais que defendiam a suspensão imediata das tratativas entre a Embraer e a Boeing para a criação da nova companhia.

Em julho, a Embraer havia informado que tinha sido intimada a se manifestar sobre a ação popular. Procurada nesta quinta-feira, a Embraer não pode comentar o assunto de imediato.

Venda da Embraer comprometerá 16 mil trabalhadores, diz sindicato

A parceria, aprovada pelo conselho de administração da Embraer, foi anunciada em junho e previa a criação do empreendimento conjunto no qual a empresa brasileira terá 20% do negócio voltado para o desenvolvimento da aviação. A negociação está avaliada em US$ 4,75 bilhões, dos quais a Boeing pagaria US$ 3,8 bilhões. 

Além disso, as companhias visam uma parceria na área de defesa, que deverá desenvolver novas aplicações para a venda internacional da aeronave brasileira KC-390.

O acordo precisa de aprovação do governo brasileiro, que detém direito veto sobre decisões estratégicas da Embraer. Hoje, as ações da Embraer renovaram mínima perto do fim do pregão. Às 17h52, tinham queda de 2,4%. No mesmo instante, o Ibovespa recuava 0,4%.

Como vai funcionar a união entre Boeing e Embraer, a 3ª maior exportadora do Brasil

    Access log