Economia Moedas virtuais pouco conhecidas devem oferecer lucros maiores

Moedas virtuais pouco conhecidas devem oferecer lucros maiores

Para especialistas, criptomoedas não popularizadas podem valorizar mais

Moedas virtuais desconhecidas devem oferecer lucros maiores

Especialistas apostam nas moedas Tron, Ripple e Gram

Especialistas apostam nas moedas Tron, Ripple e Gram

Getty Images

O investimento em moedas virtuais tomou as rodas de conversa de todo o mundo após a disparada no valor de muitas delas. O Bitcoin, criptomoeda mais conhecida em circulação, por exemplo, valorizou mais de 1.200% em 2017, mas não é a melhor aposta para quem deseja lucrar neste ano.

Mas investir na mais popular das criptmoedas não seria exatamente o melhor caminho para obter lucro. Especialistas ouvidos pelo R7 citam como aposta moedas virtuais menos conhecidas como o Tron, o Ripple e a Gram — criptomoeda associada ao aplicativo de mensagens Telegram.

O empresário, investidor e especialista em criptomoeda Sérgio Tanaka afirma que as moedas virtuais diferentes do Bitcoin "têm um potencial de valorização maior".

Tanaka, no entanto, alerta para disponibilidade das moedas no mercado, o que pode dificultar uma possível venda no futuro.

— Algumas moedas virtuais têm uma liquidez menor do que o Bitcoin. É importante sempre estar atento a isso, mas vai acontecer uma valorização maior, com certeza.

Mesmo com queda recente, Bitcoin segue como investimento vantajoso

O coordenador do MBA em Marketing Digital da FGV (Fundação Getulio Vargas), Andre Miceli, prevê que essa busca maior pelas criptomoedas deve puxar esse crescimento de moedas ainda desconhecidas.

— Eu acho que a gente pode ter em outras moedas um crescimento talvez não tão pujante como a gente viu no Bitcoin, mas ainda sinuoso.

Apesar de acreditar que as criptomoedas fazem parte do futuro da economia mundial, o planejador patrimonial do Grupo GGR, Fernando Marcondes, classifica o mercado de investimento nas moedas virtuais como “um jogo” ainda sem fundamento.

— Para mim, [o mercado de moedas virtuais] sempre foi um preto e vermelho de roleta. Eu prefiro comprar uma empresa ou jogar em um cassino do que investir em uma única criptomoeda.

Marcondes compara o mercado com a ascensão dos buscadores e das redes sociais. Para ele, os investidores de olho neste mercado "vão precisar de sorte para estar na criptomoeda que vai dar certo”.

— É muito difícil afirmar que a moeda que vai dar certo é o Bitcoin. No futuro, vão existir bilionários [que fizeram dinheiro com as moedas virtuais], mas vão existir também milhares que vão perder dinheiro com elas.

Economia em 5 minutos: guia para quem quer investir em Bitcoins

    Access log