Preço da casa própria sobe pelo 7º mês seguido no Brasil, diz FipeZap

Alta de 0,28% do índice em julho eleva para R$ 7.328 o valor do médio do metro quadrado construído nas principais cidade brasileiras

Apartamento "padrão" sai por R$ 476.320 no Brasil

Apartamento "padrão" sai por R$ 476.320 no Brasil

Nelson Antoine/Fotoarena/Estadão Conteúdo - 02/05/2014

Os brasileiros que entraram em 2020 com o desejo de realizar o sonho da casa própria viram o custo para concretizar a intenção ficar mais pesado no bolso.

De acordo com dados divulgados nesta terça-feira (4) pelo índice FipeZap, o preço de venda dos imóveis no Brasil subiu 0,28% em julho. Trata-se da sétima elevação consecutiva do indicador que acompanha o preço médio do metro quadrado anunciado nas 50 principais cidades do Brasil.

Leia mais: Juros baixos impedem tombo do mercado imobiliário

Com a variação registrada em 2020, o preço médio do metro quadrado em território nacional subiu para R$ 7.328. Significa dizer que colocar as mãos nas chaves de um apartamento padrão, com 65 m² e até dois dormitórios, no Brasil sai por, em média, R$ 476.320.

Com as sete altas de 2020, o índice acumula ganhos de 1,39% em 2020. O percentual é 0,46% superior ao esperado para a inflação oficial, o que deve representar uma alta real de quase 1% no preço dos imóveis.

Municípios

Na análise das 50 cidades pesquisadas pelo indicador, nota-se uma variação superior a 200% entre o preço médio de venda do metro quadrado dos imóveis anunciados.

O Rio de Janeiro (RJ) segue como o local mais caro para se comprar um imóvel, com o preço do metro quadrado na casa dos R$ 9.313. Em julho, os valores praticados na capital fluminense recuaram 0,1%.

A Cidade Maravilhosa ainda é acompanhada de perto por São Paulo (SP), que acumula valorização de quase 2% no valor do metro quadrado ao longo de 2020. Agora, para se tornar proprietário de um imóvel na capital paulista custa, em média, R$ 9.167.

Leia mais: Número de empresas de construção dobra em 10 anos

Na disputa acirrada pela terceira colocação do ranking Brasília (DF) se manteve mais uma vez na frente de Balneário Camboriú (SC) com o preço médio do metro quadrado construído estimado em R$ 7.635, contra R$ 7.368 da cidade catarinense.

Na outra ponta do índice, a cidade de Betim (MG) segue com o metro quadrado mais barato do país (R$ 3.079). O município mineiro é seguido por São José dos Pinhais (PR), Pelotas (RS) e Contagem (MG). Nas localidades, cada espaço mínimo de terra está avaliado por R$ 3.405, R$ 3.611 e R$ 3.777, respectivamente.

Entre as capitais brasileiras, as três mais baratas para adquirir um imóvel já construído são Campo Grande (MS), Goiânia (GO) e João Pessoa (PB), onde cada metro quadrado construído custam, em média, 4.251, 4.320 e 4.334.