Economia Tecnologia e finanças estarão em alta em 2022. Veja mais áreas!

Tecnologia e finanças estarão em alta em 2022. Veja mais áreas!

No 1º trimestre, empresas devem abrir contratações para cargos de liderança, e pode-se esperar aumento de até 20% nos salários

  • Economia | Do R7

Empresas devem oferecer mais do que bom salário para reter talentos

Empresas devem oferecer mais do que bom salário para reter talentos

pressfoto / freepik

A guerra de talentos nas áreas de tecnologia da informação e de finanças continuará em alta no ano que vem, principalmente nos cargos de liderança. É o que aponta pesquisa realizada pela Robert Walters, consultoria global de recrutamento.

O levantamento mostra que, com a retomada do mercado no pós-pandemia, o aumento da digitalização no período também vem se refletindo no perfil dos trabalhadores das áreas de finanças e de recursos humanos.

E esses profissionais precisam se adaptar 100% ao novo modelo tecnológico de trabalho.

A pesquisa revela que, no primeiro trimestre de 2022, as empresas devem investir na contratação de profissionais para cargos de liderança de nível executivo, como CFO (chief financial officer, ou, em português, diretor financeiro), COO (chief operating officer, ou diretor de operações) e CTO (chief technology officer, ou diretor de tecnologia da informação).

Entre os cargos mais buscados está o de business partner (parceiro de negócios), o profissional responsável por facilitar o alinhamento entre os times de negócios e recursos humanos

Além do forte conhecimento técnico, espera-se que esse profissional saiba conversar com o negócio e entender suas necessidades.

Na área de tecnologia, desenvolvedores de softwares continuarão a ser altamente demandados, assim como gerentes de TI e tech leads. Em finanças, gerente e diretor de finanças (FP&A manager) serão os mais procurados.

A guerra de talentos deve continuar em 2022. Richard Townsend, country manager da Robert Walters no Brasil, aconselha gerentes e diretores de negócios:

‘’As empresas, independentemente do tamanho, vão começar a pensar em sua estratégia de aquisição e retenção de talentos. Não será suficiente apenas oferecer um salário bom. É preciso considerar o bem-estar, a vida fora do trabalho e o desenvolvimento de cada funcionário. Essa é uma tendência que veio para ficar em 2022’’.

Aumento de até 20% no salário

undefined

A pesquisa também mediu a questão salarial dos profissionais. De acordo com o levantamento, pode-se esperar um aumento entre 5% e 10% neste ano.

Em alguns setores, porém, como TI & Digital, o reajuste varia entre 15% e 20%, dependendo do cargo.

42% pedirão demissão se trabalho remoto for suspenso

De acordo com a pesquisa, 40% dos profissionais dizem que os arranjos de trabalho híbrido  "poderiam ser melhorados".

Enquanto mais e mais empresas estão adotando ou em processo de implementação de um modelo de trabalho híbrido, 40% dos entrevistados globalmente disseram que o modelo precisa ser melhorado e 42% afirmaram que se demitirão se o trabalho remoto for removido completamente.

Para 55% dos trabalhadores, o atual modelo híbrido não vai longe o suficiente para ajudar a trazer o equilíbrio necessário entre vida pessoal e profissional.

Na verdade, os profissionais afirmam que o modelo de trabalho construído às pressas tem levado a jornadas mais intensas, em que é necessário participar de reuniões presenciais e virtuais.

De acordo com o relatório, o novo modelo de trabalho híbrido pouco pesquisado e testado resultou em trabalhadores sobrecarregados (54%) e exaustos (39%).

A maioria dos profissionais (85%) espera mais flexibilidade para trabalhar em casa como uma oferta-padrão dos empregadores após a pandemia, enquanto 78% disseram que não aceitarão um novo emprego até que isso seja acordado com o possível empregador.

Retornar ao local de trabalho é muito importante para os jovens, com 75% daqueles com idade entre 18 e 26 anos afirmando que o local de trabalho é a principal fonte de significado e conexão social, diz o relatório.

“Embora a mudança para o trabalho remoto tenha sido quase instantânea, precisamos reconhecer que foi feita por necessidade”, diz Townsend.

“O retorno ao trabalho deve ser gradual. Tanto os empregadores quanto os funcionários devem usar este ano para testar uma variedade de estilos de trabalho, desde o trabalho híbrido até a possível remoção do 9-5 em favor das horas baseadas na carga de cada projeto”, finaliza ele.

Veja dicas para criar uma rotina mais produtiva no home office

Últimas