Educação Começar a aula uma hora mais tarde melhora desempenho de adolescentes na escola

Começar a aula uma hora mais tarde melhora desempenho de adolescentes na escola

Pesquisa desenvolvida pela UFFS mostra que uma hora a mais de sono tem efeitos positivos no rendimento dos estudantes

Resumindo a Notícia

  • Pesquisa mostra que mudar horário da aula melhora desempenho dos alunos
  • Adolescentes ficam menos sonolentos e mais dispostos.
Países da Europa já adotaram o atraso no horário das aulas

Países da Europa já adotaram o atraso no horário das aulas

Tirachardz/Freepik

Dormir uma hora a mais melhora o desempenho e o humor dos adolescentes, esse é o resultado de um estudo brasileiro desenvolvido por pesquisadores da UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul). Segundo a pesquisa, além da melhora no sono e diminuição da sonolência durante as aulas, houve também mudança de humor e mais disposição.

No Brasil, as aulas, em média, começam às 7h30, o que exige que a maioria acorde, pelo menos, uma hora mais cedo, por volta de 6h30 da manhã. Para o experimento, os pesquisadores decidiram mudar o início das aulas para às 8h30.

Durante três semanas, alunos de uma escola em Palotina, no Paraná foram observados. "Na primeira semana, eles entraram no horário normal, às 7h30, e avaliamos o sono, rendimento e as questões emocionais", explica Felipe Beijamini, professor na UFFS. Além de um questionário aplicado aos alunos, aparelhos foram usados para monitorar o sono.

"Na segunda semana, alteramos o horário do sono para às 8h30 e repetimos os questionários e os exames", explica. "Um dos pontos foi manter o horário de dormir à noite e na terceira semana, a escola voltou para às 7h30."

O resultado do estudo mostrou que uma hora a mais de sono impactou no desempenho dos estudantes em sala de aula, houve uma melhora na disposição e atenção, diminuição da sonolência e "observamos, também, um impacto nas emoções, houve uma diminuição nos sintomas de depressão e ansiedade."

Um estudo do Instituto do Sono publicado no ano passado também demonstrou que o desajuste entre relógios biológico e social leva a privação de sono. Um adolescente mais vespertino vai chegar ao colégio mais sonolento, o que pode aumentar a chance de reprovação ou evasão escolar. 

Em julho deste ano, o Journal of Clinical Sleep Medicine publicou uma pesquisa realizada nos Estados Unidos que demonstra que ao atrasar o horário das aulas, há um ganho de 10% nas notas dos alunos, o que também favorece os mais vulneráveis. "Atrasar o horário das aulas, após 4 anos, mostrou que houve uma melhora na taxa de frequência dos alunos", destaca o texto. "Estudantes economicamente desfavorecidos e os afro-americanos tiveram um desempenho melhor."

Alguns países já perceberam que atrasar o horário da escola pode ser mais vantajoso, como na Califórnia, nos Estados Unidos, e em diferentes países da Europa. "No Brasil, ainda não temos nenhuma iniciativa neste sentido, mas a Associação Brasileira do Sono publicou um manifesto sugerindo a mudança de horário, o que beneficiaria muito os adolescentes."

Últimas