Educação Estudantes do interior de São Paulo criam carro de Fórmula 1

Estudantes do interior de São Paulo criam carro de Fórmula 1

Equipe de Bauru conquistou primeiro lugar no F1 in Schools e deverá representar o país na competição mundial a ser realizada na Austrália

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Equipe Tachyon de Bauru levou o primeiro lugar na   F1 in Schools

Equipe Tachyon de Bauru levou o primeiro lugar na F1 in Schools

Divulgação

Um grupo de estudantes do ensino médio da cidade de Bauru, interior de São Paulo, aceitou o desafio de montar uma escuderia, a Tachyon, e fazer o protótipo de um carro de Fórmula 1.

O grupo conquistou o primeiro lugar nacional na  F1 in Schools, competição internacional apoiada pela Fórmula-1. O próximo passo da escuderia brasileira será representar o Brasil na Austrália, em 2021.

Os jovens receberam a missão de montar uma escuderia, criar um nome, logomarca, buscar patrocínio e montar o protótipo de um carro. "E o carro precisa voar nas pistas", brinca Francisco Ferreira, mentor do grupo e professor do colégio FourC, onde os membros da equipe estudam.

Protótipo de F1 feito por estudantes

Protótipo de F1 feito por estudantes

Divulgação

Para elaborar o protótipo, os estudantes usaram software de desenho auxiliado por computador e puderam contar com impressoras 3D.

"Cinco equipes da escola participaram da competição e todas foram muito bem, creio que o principal desafio é encarar um projeto real, sujeito às intempéries como ocorre dentro das empresas", avalia. "Os alunos aprendem a ter jogo de cintura para trabalhar em equipe, montam um fluxo de caixa e o ganho com tudo isso é gigante."

Leia mais: O professor que usa robótica para incluir crianças com autismo em escola na periferia de SP

Para a estudante Sofia Trecenti a competição é "complexa e completa". "Temos o desafio de saber escutar e muitas vezes abrir mão ou mudar a própria ideia", diz.

"Tivemos o apoio da escola e das famílias para desenvolver o projeto, acredito que todos aprenderam muito nesse processo e estou torcendo para que a fase do mundial possa ser presencial, para que possamos trocar experiências com pessoas de diferentes cantos do mundo."

Últimas