Educação Guedes diz que Fies bancou filho de porteiro que tirou zero em provas

Guedes diz que Fies bancou filho de porteiro que tirou zero em provas

Sem saber que era gravado, ministro da Economia atacou o programa de financiamento; fala gerou polêmica nas redes sociais

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Resumindo a Notícia

  • Paulo Guedes diz que até filho de porteiro que zerou no vestibular conseguiu o Fies
  • Ministro da Economia afirmou que Fies foi um desastre e favoreceu meia dúzia de empresários
  • Na mesma reunião, Guedes disse que coronavírus foi inventado pelos chineses
Ministério da Economia, Paulo Guedes, fala sobre Fies em uma reunião entre ministros

Ministério da Economia, Paulo Guedes, fala sobre Fies em uma reunião entre ministros

Edu Andrade/Ascom/ME - 16.03.2021

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sem saber que estava sendo gravado, afirmou que o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) deu bolsa para "todo mundo" para cursarem o ensino superior. Segundo informações divulgadas pelo jornal O Estado de S. Paulo, o ministro declarou que o filho do seu porteiro foi beneficiado mesmo tendo zerado nas provas do vestibular, sem, no entanto, apresentar mais informações.

“O porteiro do meu prédio, uma vez, virou para mim e falou assim: 'Seu Paulo, eu estou muito preocupado'. O que houve? 'Meu filho passou na universidade privada'. Ué, mas está triste por quê? 'Ele tirou zero na prova. Tirou zero em todas as provas e eu recebi um negócio dizendo: parabéns, seu filho tirou...' Aí tinha um espaço para preencher, colocava 'zero'. Seu filho tirou zero. E acaba de se endereçar a nossa escola, estamos muito felizes”, disse Guedes.

Para o ministro, o Fies foi um “desastre” que enriqueceu meia dúzia de empresários. Segundo o jornal, as falas de Guedes foram feitas em reunião do Consu (Conselho de Saúde Suplementar) na última terça-feira (27). Nesta mesma reunião, ele declarou que o coronavírus foi "inventado" pelos chineses.

Após fala de Guedes, chanceler conversa com embaixador da China

Além do ministro da Economia, participaram da reunião o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, da Justiça, Anderson Torres. Ainda acompanharam o debate representantes do MPF (Ministério Público Federal) e da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

O Fies é um programa do governo federal que tem o objetivo de facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas aderentes ao programa. Para ter acesso ao fundo, é necessário ter renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos e ter participado de uma das edições do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio, a partir de 2010, obtendo no mínimo 450 pontos na média das cinco provas do exame e não ter zerado a prova de redação. A seleção assegura apenas a expectativa de direito à vaga, já a contratação do financiamento está sujeita às demais regras e procedimentos de formalização do contrato

A fala do ministro repercutiu nas redes sociais:

Últimas