Ministro diz ter identificado erro em 6 mil provas e Sisu abre terça

Pelo Twitter, Abraham Weintraub afirmou que "ninguém será prejudicado" e que o Sisu terá mais dois dias além do previsto, ou seja, vai até domingo

O ministro da Educação, Abraham Weintraub

O ministro da Educação, Abraham Weintraub

Wilson Dias/Agência Brasil


O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou nesta segunda-feira (20) que a falha de correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) atingiu 6 mil provas e reforçou que o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abrirá nesta terça-feira (21), conforme previsto inicialmente.

A reportagem apurou que mais de 75 mil candidatos pediram a recorreção da prova e que todos os casos foram analisados, mas os erros só foram constatados para 6 mil pessoas.

O anúncio foi feito pelo ministro na tarde desta segunda em sua conta do Twitter. "Ninguém será prejudicado! O Sisu abrirá amanhã e terá mais dois dias além do previsto, ou seja, vai até domingo. Novamente, pedimos desculpas pelo susto", disse Weintraub.

Servidores do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) disseram ter encontrado mais de um tipo de falha na correção. Inicialmente, o governo disse que o problema ocorreu por erro na identificação dos cartões de resposta dos candidatos e da respectiva cor das provas que fizeram.

A falha teria ocorrido na gráfica, a empresa Valid: os arquivos com essas informações foram repassadas ao Inep com divergências. Ou seja, o aluno fez a prova de uma cor, mas a nota foi corrigida como se fosse de outra.

Segundo os servidores também houve problema com a utilização de um cartão de respostas reserva. Eles afirmam que essas falhas poderiam ter sido identificadas antes da divulgação das notas.