Pesquisa aponta que EAD deve ser primeira opção entre universitários

Queda no nível de empregos e renda justifica decisão. Retorno às aulas deve ser marcado pelo ensino híbrido nas instituições de ensino superior

Estudantes sentem impacto da crise financeira

Estudantes sentem impacto da crise financeira

Pixabay

A terceira etapa da pesquisa sobre o ensino superior durante o período de pandemia da ABMES (Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior) divulgada nesta quarta-feira (10) aponta para tendência pela opção do Ensino a Distância entre os estudantes.

"Percebemos que os estudantes tendem a optar pelas aulas remotas uma vez que as mensalidades são mais baixas", observa Celso Niskier, da ABMES. A expectativa da Associação é que até 2022 a maioria dos alunos do ensino superior estejam matriculados na EAD.

Leia mais: 78% das universidades estão no ambiente virtual, aponta pesquisa

A pesquisa, que ouviu 1.607 pessoas, entre estudantes e pessoas que pretendem ingressar no ensino privado superior pelos próximos 12 meses, apesar da pandemia, 94% dos estudantes querem dar continuidade aos estudos.

Um dado faz soar o alarme nas instituições: 47% dos estudantes matriculados em cursos presenciais apontaram riscos de desistir. "Nossa orientação é que as universidades negociem caso a caso com os alunos para que ninguém fique de fora", orienta Niskier.

Se o ensino a distância deve ser o caminho do futuro, a ABMES aponta que o ensino híbrido é o presente. Para Niskier, 80% das instituições de ensino superior se adaptara as aulas remotas e os professores têm aceitado melhor a proposta. "A realidade chegou mais rápido que esperávamos por conta da pandemia, mas é uma tendência que ficará."