Eleições 2018 PPS e Podemos se declaram neutros no 2º turno da eleição presidencial

PPS e Podemos se declaram neutros no 2º turno da eleição presidencial

DEM, PR, PP, PRB, PSDB e Novo também declararam neutralidade e deixaram seus filiados e militantes livres para escolher em quem votar no dia 28

Partidos declaram neutralidade no 2º turno

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad disputam 2º turno

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad disputam 2º turno

Reprodução/RecordTV – Montagem: R7

Os partidos PPS e Podemos declararam nesta quarta-feira (10) neutralidade no segundo turno da eleição presidencial, que será disputado em 28 de outubro entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Além das duas legendas, DEM, PR, PP, PRB, PSDB, DC e Novo também iberaram a militância, líderes políticos e representantes para apoiar um dos dois candidatos que concorrem ao Planalto.

A Executiva Nacional do PPS também decidiu que fará oposição ao próximo governo.

"Temos um partido que provocou tudo isso que estamos vivendo por conta do seu desmantelo, da corrupção implantada quando no governo, e por outro lado temos aquele que sempre foi um enaltecedor da ditadura, tortura e torturadores. Isso não corresponde em nada aos nossos princípios e valores", explicou o presidente da sigla, deputado Roberto Freire (SP), que não conseguiu se reeleger este ano.

Freire afirmou considerar que tanto as candidaturas de Jair Bolsonaro, do PSL, quanto a de Fernando Haddad, do PT, defendem ditaduras, não respeitam práticas democráticas e colocam em risco liberdades já garantidas ao cidadão.

"Os dois projetos são autoritários, não respeitam a democracia e, portanto, colocam em risco o Estado Democrático de Direito, e o partido vai afirmar para a sociedade o que é de fundamental nesse futuro governo seja ele quem for", disse Freire, para quem a liberdade de expressão e de imprensa correm riscos.

O Democratas também declarou neutralidade nesta manhã, mas a nota faz críticas ao candidato Fernando Haddad: "Conectado com a vontade de mudança do povo brasileiro, nosso partido assume o compromisso de contribuir com a construção do Novo Brasil, um país completamente diferente daquele que nos foi legado pelo PT nos últimos anos", diz o texto.

Do outro lado

O PDT do candidato Ciro Gomes, que ficou em terceiro lugar nas eleições, e a Rede, de Marina Silva, ainda não anunciaram um posicionamento.

PSOL, do candidato Guilherme Boulos, declarou apoio a Haddad.

    Access log
    https://noticias.r7.com/eleicoes-2018